Busca avançada
Ano de início
Entree

Mapeando as dimensões da fragilidade pedagógica: um estudo de caso sobre as representações conceituais e sociais de docentes da Escola de Artes, Ciências e Humanidades

Processo: 18/21857-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 20 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Educação - Tópicos Específicos de Educação
Pesquisador responsável:Mauricio Pietrocola Pinto de Oliveira
Beneficiário:Joana Guilares de Aguiar
Instituição-sede: Faculdade de Educação (FE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Representações sociais   Mapas conceituais   Ensino superior

Resumo

As universidades têm investido tempo e dinheiro para melhoria da qualidade do ensino de graduação. Mesmo assim, os resultados obtidos ficam aquém das expectativas. Essas preocupações, que tem caráter global, levaram um professor britânico a propor o modelo da fragilidade pedagógica (MFP). A partir do paradigma da complexidade, este modelo integra elementos-chave que descrevem as atividades docentes e os principais motivos que levam muitos professores (incluindo os mais experientes) a adotar uma abordagem de ensino conservadora, tradicional, "segura" e, possivelmente, desatualizada. Na prática, a FP é observada quando os professores percebem as pressões cumulativas das atividades acadêmicas como o principal fator que inibe a capacidade de mudar sua prática de ensino em resposta a um ambiente em evolução. A literatura aponta que a busca por relações significativas, enunciadas pelos acadêmicos, sobre e entre as dimensões do MFP vem se mostrando um ponto de partida promissor para o desenvolvimento pedagógico de docentes universitários. A presente pesquisa se dispõe a investigar tais relações de significado sob dois vieses complementares: o cognitivo e o social. De um lado, lançamos mão das representações conceituais do indivíduo evidenciados por meio dos Mapas Conceituais de Novak; e por outro lado, são observadas sobreposições de padrões que formam os universos consensuais e as Representações Sociais propostas por Moscovici. Docentes da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) serão os participantes desta pesquisa. Espera-se que a combinação das cognições individuais dos docentes e as representações coletivas, estabelecidas dentro de um ambiente acadêmico interdisciplinar, permita caracterizar a unidade de ensino sob a perspectiva do MFP, apontando possíveis melhorias no ensino de graduação.