Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro da adesão, proliferação e expressão de proteínas por meio de imunofluorescência de células osteoblásticas MC3T3-E1 cultivadas com meio condicionado de macrófagos da linhagem RAW 264.7

Processo: 18/23586-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Citologia e Biologia Celular
Pesquisador responsável:Karina Fittipaldi Bombonato Prado
Beneficiário:Marina Correia Cassiani
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Biologia celular   Osteogênese   Osteoblastos   Expressão de proteínas   Estímulo condicionado   Macrófagos   Técnicas in vitro   Imunofluorescência

Resumo

A osteogênese é alcançada não somente por células osteoblásticas do sistema esquelético, mas também como resultado de uma cooperação com múltiplos sistemas, entre eles, o imune. Células como macrófagos liberam várias moléculas sinalizadoras que poderiam afetar positiva ou negativamente a capacidade osteogênica dos osteoblastos. Sendo assim, o objetivo do presente projeto será avaliar a influência do meio condicionado de células da linhagem de macrófagos murinos RAW264.7 polarizadas em M1 por meio de lipopolissacarídeo (LPS), na cultura de células osteoblásticas murinas MC3T3-E1. Após a armazenamento do meio condicionado, as células osteoblásticas serão cultivadas em garrafas em meio de cultura osteogênico até a subconfluência e plaqueadas em uma concentração de 2 x 104 células por poço em placas de cultura (n=5) onde estarão já posicionadas lamínulas de vidro adequadas para a adesão e proliferação das células. Os grupos experimentais serão divididos em células controles (C) e células tratadas com 50% de meio condicionado de macrófagos (MC). Após os tempos experimentais, serão avaliados os seguintes parâmetros: adesão e proliferação celular, além da expressão das proteínas fosfatase alcalina (ALP), sialoproteína óssea (BSP) e osteopontina (OPN) por meio de imunofluorescência. Os dados numéricos obtidos serão analisados por programas estatísticos adequados para p d 0.05.