Busca avançada
Ano de início
Entree

Vesículas extracelulares secretadas por embriões bovinos produzidos in vivo e in vitro: conteúdo de miRNAs e os efeitos moleculares sobre o endométrio e o corpo lúteo

Processo: 17/19681-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Reprodução Animal
Pesquisador responsável:Felipe Perecin
Beneficiário:Alessandra Bridi
Instituição-sede: Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA). Universidade de São Paulo (USP). Pirassununga , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/22887-0 - Exossomos e microvesículas contendo miRNAs modulam mudanças epigenéticas durante o cultivo in vitro de gametas e embriões em bovinos, AP.JP
Assunto(s):Biotecnologia da reprodução   Vesículas extracelulares   Embrião de animal   Bovinos   Fertilização in vitro animal   In vivo   MicroRNAs   Endométrio   Corpo lúteo

Resumo

Embriões bovinos produzidos in vivo e in vitro possuem diferentes características metabólicas, além de diferenças no desenvolvimento embrionário e na transcrição gênica, o que consequentemente afeta as taxas de concepção e a produtividade dos rebanhos de corte. Entre os dias 8 e 17 do ciclo estral é quando ocorrem 40% das perdas embrionárias, coincidindo com a sinalização entre o concepto e o organismo materno. Vesículas Extracelulares (VEs) fazem parte desta sinalização transportando miRNAs que podem atuar nas diversas células do organismo bovino. Com isso, nossa hipótese é que embriões bovinos produzidos in vivo e in vitro secretam VEs que possuem o conteúdo de miRNA diferente podendo modular diferencialmente o padrão de expressão gênica do endométrio e do corpo lúteo. Os objetivos deste projeto são: caracterizar o tamanho, a concentração e o conteúdo de miRNAs das VEs secretadas por embriões bovinos produzidos in vivo e in vitro entre o dia 7 e o dia 9 de desenvolvimento; avaliar o efeito das VEs secretadas no meio condicionado por embriões bovinos produzidos in vivo e in vitro sobre a expressão gênica do cultivo de células luteais; e determinar os níveis de mRNA e miRNAs no epitélio endometrial e no corpo lúteo de vacas gestantes de embriões produzidos in vivo e in vitro entre o dia 7 até o dia 9 de desenvolvimento. Os resultados obtidos mostrarão que o ambiente onde os embriões foram produzidos modifica as características morfológicas e o conteúdo de miRNAs das VEs que eles secretam, o que consequentemente altera o padrão de transcritos do endométrio e do corpo lúteo. Desta forma, vias de sinalização associadas à comunicação materno-embrionária poderão ser identificadas, avaliando-se também o efeito da origem embrionária (in vivo ou in vitro) nestas vias. (AU)