Busca avançada
Ano de início
Entree

Filogenômica das famílias de Characiformes africanos Alestidae, Citharinidae, Distichodontidae e Hepsetidae

Processo: 18/24040-5
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Animal
Pesquisador responsável:Claudio de Oliveira
Beneficiário:Bruno Francelino de Melo
Supervisor no Exterior: Melanie L J Stiassny
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : American Museum of Natural History, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:16/11313-8 - Filogenia da Ordem Characiformes (Teleostei: Ostariophysi) utilizando elementos ultraconservados, BP.PD
Assunto(s):Filogenia molecular   Sistemática   Evolução

Resumo

Characiformes é um dos maiores grupos de teleósteos com mais de 2000 espécies válidas incluindo caracídeos, piranhas, tetras e espécies relacionadas. Ocupam uma ampla variedade de ecossistemas de água-doce em imensas regiões tropicais na África e nas Américas. Quatro famílias com cerca de 230 espécies estão distribuídas na África, do vale do Nilo até bacias tropicais subsaarianas, enquanto 20 famílias e mais de 1.800 espécies vivem na região Neotropical do sul dos Estados Unidos até a Argentina e Chile, onde a maioria se encontra na bacia amazônica e bacias adjacentes. Os Characiformes africanos são representados por quatro famílias: Alestidae (19 gêneros, 116 espécies), Citharinidae (três gêneros, oito espécies), Distichodontidae (17 gêneros, 104 espécies), e Hepsetidae (um gênero, seis espécies). Estudos morfológicos e moleculares prévios discordam na posição filogenética das quatro famílias. Enquanto filogenias morfológicas e uma filogenia baseada em éxons alocam a subordem Citharinoidei (Citharinidae+Distichodontidae) como a primeira linhagem a divergir dentro de Characiformes, filogenias multilocus e com dados genômicos tem repetidamente encontrado Citharinoidei como irmão do clado com Characoidei e Siluriformes. Essas incongruências reforçam a necessidade de investigar a porção inicial da diversificação de Characiformes. Estudos intrafamiliares também têm demonstrado várias grupos não-monofiléticos em diversos gêneros dentro de Alestidae (ex. Alestopetersius, Brycinus) e Distichodontidae (ex. Neolebias, Phago) e a posição incerta de Arnoldichthys e Lepidarchus fora de Alestidae. Todos esses estudos usaram uma limitada cobertura de espécies em três famílias: ~45% em Alestidae, ~38% em Citharinidae, ~54% em Distichodontidae. Além disso, Hepsetidae não possui uma filogenia molecular interespecífica. Nós propomos a construção de novas filogenias usando uma abordagem filogenômica de captura de sequências de elementos ultraconservados (UCEs) através de sequenciamento de nova geração. O presente projeto será fundamental para melhor compreender as relações evolutivas na diversificação inicial de Characiformes e para testar as hipóteses de relações interfamiliares, intergenéricas e interespecíficas e processos macroevolutivos modelando essa grande linhagem de Teleostei.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DORINI, BEATRIZ F.; RIBEIRO-SILVA, LUIS R.; FORESTI, FAUSTO; OLIVEIRA, CLAUDIO; MELO, BRUNO F. Molecular phylogenetics provides a novel hypothesis of chromosome evolution in Neotropical fishes of the genus Potamorhina (Teleostei, Curimatidae). JOURNAL OF ZOOLOGICAL SYSTEMATICS AND EVOLUTIONARY RESEARCH, JAN 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.