Busca avançada
Ano de início
Entree

Padrão de atividade espacial do perfil integrativo omics para o diagnóstico da pneumonite intersticial bronquiolocêntrica

Processo: 18/24445-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Alexandre Todorovic Fabro
Beneficiário:Sabrina Setembre Batah
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Pneumologia   Doenças pulmonares intersticiais   Biomarcadores   Rastreamento

Resumo

As Doenças Intersticiais Pulmonares (DIPs) formam um grande grupo heterogêneo de distúrbios que causam a cicatrização com distorção da arquitetura do interstício pulmonar. Achados clínicos, radiológicos e patológicos são inespecíficos e não permitem um diagnóstico preciso, apesar da discussão multidisciplinar (MDD) com pneumologistas, radiologista torácico e patologista pulmonar. A pneumonite intersticial bronquiolocêntrica (BIP), definida por um remodelamento fibroplásico predominantemente bronquiolocêntrico associado a infiltrado linfocitário bronquiolar ou peribronquiolar e metaplasia peribronquiolar, bem como uma fibrose intersticial irregular e / ou massas fibroplásicas focais de tecido conjuntivo fibromixóide, é um novo padrão relacionado uma ampla gama de diagnósticos diferenciais, especialmente aspiração, colagenoses, doenças auto-imunes, efeitos tóxico-medicamentoso, pneumoconiose, tabagismo, idiopática e outros. Além disso, a doença está associada à alta morbimortalidade. Por isso tudo, o diagnóstico etiológico precoce é fundamental para aprimorar o melhor tratamento e o resultado dele nos pacientes. Este projeto estudará o rastreamento molecular das áreas de lesão de atividade miofibroblastica, onde o mecanismo específico inicial está presente, para validar biomarcadores diagnósticos translacionais. As vias moleculares das áreas de lesão de atividade miofibroblástica revelarão mecanismos fisiopatológicos detalhados das doenças pulmonares intersticiais de forma relacionada à etiologia. O biomarcador molecular de diagnóstico da biópsia pulmonar cirúrgica melhorará o manejo dos pacientes devido a uma particular e única doença intersticial pulmonar. A evolução e o tratamento serão focados na causa etiológica, entrando na era da medicina de precisão. Novas estratégias terapêuticas e novas drogas podem ser desenvolvidas com melhor custo-benefício e com eficácia terapêutica.