Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da toxicidade de efluentes de estação de tratamento de esgoto da cidade de Santa Bárbara D'Oeste

Processo: 18/25145-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Maria Aparecida Marin Morales
Beneficiário:Gabrielly Cristine Martins
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Rio Claro. Rio Claro , SP, Brasil
Assunto(s):Ecotoxicologia   Genotoxicidade   Citotoxicidade   Fitotoxicidade   Toxicidade   Tratamento de esgotos sanitários   Águas residuárias   Testes de mutagenicidade   Santa Bárbara D'Oeste (SP)

Resumo

As Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) produzem resíduos que podem ter ação detrimental tanto para o ambiente como para a saúde humana. Dentre os resíduos produzidos nas ETEs, estão o lodo de esgoto e as águas residuais. Embora as águas residuais passem por diversos tratamentos para remoção da carga poluidora, antes de serem lançadas nos corpos hídricos, esta remoção não é completa. Assim, apesar das ETEs seguirem as resoluções pré-estabelecidas para o lançamento de seus efluentes nos corpos receptores, os critérios desta avaliação só contemplam as características físico-químicas e microbiológicas dos efluentes tratados. Para um real monitoramento desses efluentes, fica a necessidade de avaliações complementares, como as realizadas pelos ensaios com organismos bioindicadores de toxicidade. As espécies vegetais Allium cepa e Lactuca sativa são consideradas eficientes bioindicadores para avaliação da qualidade ambiental, por fornecerem dados consistentes sobre a fitotoxicidade, citotoxicidade, genotoxicidade e mutagenicidade de amostras ambientais. Frente ao exposto, este estudo tem por objetivo monitorar o efluente tratado da ETE Toledos 1 da cidade de Santa Bárbara - SP, bem como o corpo d'água receptor desse efluente, antes e após o seu lançamento no rio, por meio de ensaios de índice mitótico, de aberrações cromossômicas e de micronúcleo (MN) em A. cepa e de germinação em L. sativa.