Busca avançada
Ano de início
Entree

Estabelecimento e caracterização citogenética e molecular de linhagens celulares de hepatoblastoma

Processo: 18/25506-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Ana Cristina Victorino Krepischi
Beneficiário:Annie Tomoe Takaesu
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Câncer infantil   Hepatoblastoma   Linhagem celular   Genética do câncer

Resumo

O câncer pediátrico apresenta baixa frequência se comparado ao câncer que se desenvolve em adultos, apresentando grandes distinções quanto à sua biologia e às causas que levam ao seu surgimento, como o menor envolvimento de fatores de risco ambientais e curta janela temporal para seu desenvolvimento. O hepatoblastoma é um tumor embrionário de fígado que se desenvolve nos primeiros anos de vida, sendo o câncer hepático mais frequente na infância. É caracterizado pela presença de aneuploidias cromossômicas, em especial ganhos de cromossomos inteiros, e apresenta o menor número de mutações somáticas no grupo de tumores sólidos. Dentre as alterações gênicas associadas a esse tipo tumoral, poucos são os genes com mutações recorrentes, em especial CTNNB1, com mutações que ocasionam estabilidade dessa proteína e ativação da via Wnt, além de mutações no promotor do gene TERT, que ocorrem em geral associadas a um pior prognóstico. Por ser um tipo tumoral extremamente raro (aproximadamente 11 casos por milhão entre crianças com idades abaixo de 18 meses), existem poucos estudos com amostras de hepatoblastomas, sendo a maior parte dos trabalhos desenvolvida em uma única linhagem disponível comercialmente (HEPG2). Este estudo tem como objetivo o estabelecimento e caracterização de duas linhagens celulares de hepatoblastomas derivados de diferentes pacientes, visando sua utilização em estudos futuros. A caracterização dessas linhagens será realizada citogeneticamente, por cariótipo e análise de microarranjos genômicos para identificação de alterações cromossômicas, assim como pelo estudo de mutações somáticas por sequenciamento de Sanger (genes CTNNB1 e TERT) e exoma.