Busca avançada
Ano de início
Entree

Investigação do efeito do treinamento físico combinado no perfil inflamatório e capacidade funcional de Pacientes com DPOC: estudo clínico randomizado

Processo: 18/04870-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Vigência (Término): 31 de outubro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Ercy Mara Cipulo Ramos
Beneficiário:Juliana Souza Uzeloto
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Tecnologia (FCT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Presidente Prudente. Presidente Prudente , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema imune   Exercício físico   Doença pulmonar obstrutiva crônica

Resumo

Introdução: A inflamação crônica sistêmica tem sido foco de discussão na DPOC por ser causa de desenvolvimento de alterações extrapulmonares, como atrofia, fraqueza e fadiga muscular que estão associadas a redução na capacidade física e funcional. Além disso, o sistema imunológico adaptativo responde de maneira prejudicada nesses pacientes, contribuindo para infecções respiratórias recorrentes consequentemente agravo da doença. Por outro lado, sabe-se que o exercício físico é capaz de diminuir sintomas como fadiga e dispneia e consequentemente melhorar a capacidade de exercício e qualidade de vida nessa população. No entanto, não está claro na literatura o efeito do treinamento físico no perfil inflamatório de pacientes como DPOC. Objetivo: Investigar o perfil inflamatório sistêmico de pacientes com DPOC e a influência do treinamento físico combinado e a inserção de exercícios funcionais no comportamento de biomarcadores inflamatórios. Ainda, investigar fatores que possam estar relacionados à resposta imune ao treinamento. Métodos: Serão avaliados pacientes com DPOC quanto a função pulmonar (espirometria), consumo alimentar (registro alimentar), dispneia (escala MRC), qualidade de vida (questionário CRQ), controle clínico da DPOC (CCQ), limitações nas atividades de vida diária (escala LCADL), composição corporal (bioimpedância elétrica), biomarcadores inflamatórios (IL-13, -17, -6, -8, -10, TNF-± e IL-2), perfil metabólico, capacidade funcional (teste de caminhada de seis minutos e teste T-Glittre) e força muscular (dinamometria). Os pacientes serão randomizados em 3 grupos: grupo de treinamento combinado (GTC), grupo de treinamento em circuito funcional (GTF) e grupo de cuidados usuais (GCU). O GTC realizará sessões constituídas por alongamentos globais, seguido de treinamento físico aeróbico em esteira ergométrica em intensidade moderada com duração de 30 minutos, associado a treinamento resistido de membros superiores e inferiores de intensidade moderada com duração de 20 minutos. O GTF realizará duas sessões semanais conforme descrito para o treinamento combinado e em uma sessão semanal o treinamento físico aeróbico será substituído pelo treinamento em circuito funcional que será estruturado com base em entrevista prévia das principais dificuldades encontradas durante a realização das AVD dos pacientes. Já o GCU realizará somente cuidados usuais envolvendo técnicas de fisioterapia respiratória. Os protocolos propostos terão duração de 8 semanas. Após a intervenção serão repetidas todas as avaliações iniciais. Para análise dos dados o programa estatístico SPSS 22.0 será utilizado. A análise de variância de dois fatores (ANOVA two-way) será empregada para avaliar as possíveis diferenças inter-grupos nos momentos pré e pós intervenção. O nível de significância adotado será de 5%.