Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização do papel da proteína Opi1, um repressor do metabolismo do inositol, na resposta ao dano de DNA em Saccharomyces cerevisiae

Processo: 19/03171-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:José Renato Rosa Cussiol
Beneficiário:Giovanna Marques Panessa
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/05417-0 - Vias de sinalização de dano no DNA: mecanismos de regulação e integração com o metabolismo celular, AP.JP
Assunto(s):Genotoxicidade   Dano ao DNA   Instabilidade genômica   Saccharomyces cerevisiae   Inositol

Resumo

A resposta ao dano de DNA (DDR, do inglês DNA Damage Response) é uma complexa rede de processos celulares que são ativados em resposta a acúmulos de danos na molécula de DNA de maneira a prevenir o acúmulo de instabilidade genômica. A DDR envolve a regulação de proteínas envolvidas em processos celulares como replicação e reparo de DNA, ciclo celular e segregação cromossômica sendo extremamente conservada de leveduras até humanos. Nos últimos anos, vêm crescendo a quantidade de estudos mostrando que ocorre uma intensa reprogramação metabólica em condições de dano genômico. Entretanto, ainda não se sabe como essas vias se integram com a DDR. Dados preliminares obtidos pelo nosso grupo mostram que linhagens da levedura Saccharomyces cerevisiae nocautes para o gene OPI1, um repressor da biossíntese de fosfolipídeos, apresentam uma hipersensibilidade à genotoxina MMS (metanossulfonato de metila) indicando que a proteína Opi1 desempenha um papel importante para a manutenção da integridade genômica. Embora as funções de Opi1 sobre o metabolismo de fosfolipídios são amplamente estudadas em levedura, nada se sabe sobre sua função durante a DDR. Assim sendo, propomos através de uma abordagem genética e bioquímica estudar o papel biológico da proteína Opi1 na resistência ao estresse genotóxico induzido por MMS. Por último, este projeto, se bem sucedido, irá contribuir para entender como vias do metabolismo celular se integram com a DDR em eucariotos.