Busca avançada
Ano de início
Entree

Dialética e subjetividade em Die Betrogene, de Thomas Mann

Processo: 18/25685-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Linguística, Letras e Artes - Letras - Teoria Literária
Pesquisador responsável:Jorge Mattos Brito de Almeida
Beneficiário:Leonardo Augusto Castilho Thomaz
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Filosofia   Ideologia   Modernismo   Dialética   Crítica literária   Subjetividade   Theodor W. Adorno

Resumo

A pesquisa tem como objeto literário a última novela de Thomas Mann, Die Betrogene, no original - A enganada ou A mulher atraiçoada a depender da tradução -, publicada em 1953 na Suíça, durante o exílio do autor. Serão analisadas as questões dialéticas que estruturam as relações interpessoais das personagens, isto é, as subjetividades envolvidas e a objetividade que as determinou. Essas relações, em função da modernidade e das violências advindas das duas guerras mundiais, sofreram graves fraturas, impossibilitando a existência de uma síntese positiva no entrelaçamento de duas subjetividades. Além disso, estarão sob nosso escopo os impactos formais que tais movimentos históricos também provocaram, gerando uma espécie de "inconstância estrutural" no narrador. Diante destas questões, a filosofia e crítica literária do alemão Theodor W. Adorno será utilizada como modelo, a fim de auxiliar na crítica imanente da novela.