Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do efeito de uma nova cistatina derivada da cana-de-açúcar (CaneCPI-5) sobre o perfil e viabilidade de biofilme microcosmo, bem como na prevenção da desmineralização da dentina

Processo: 18/24450-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:João Victor Frazão Câmara
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Placa bacteriana   Dentina   Bioquímica   Anti-infecciosos   Cárie dentária

Resumo

Na odontologia, diversas doenças como a cárie e erosão dentária têm sido estudadas. Recentemente, uma nova cistatina derivada da cana-de-açúcar (CaneCPI-5) foi produzida em sistema de expressão heteróloga e demonstrou uma alta capacidade de ligação ao esmalte, protegendo contra a erosão do esmalte in vitro. Entretanto, o efeito protetor da CaneCPI-5 contra a cárie dentária, causada por ácidos produzidos por microorganismos estruturalmente organizados em um biofilme, em decorrência do consumo de açúcares, nunca foi estudado. Em adição, as proteases da matriz são muito importantes para a progressão da cárie em dentina e as cistatinas, incluindo a CaneCPI-5, são inibidores de cisteíno-catepsinas, o que pode ter um efeito adicional na prevenção da cárie em dentina.O objetivo deste trabalho será avaliar o efeito de diferentes concentrações da CaneCPI-5 sobre a perfil bacteriano e viabilidade de um biofilme microcosmo, bem como na prevenção da desmineralização dadentina. Para a formação do biofilme microcosmo, será coletada a saliva de 1 indivíduo saudável, que não tenha escovado os dentes nas últimas 24h e que não tenha bebido líquidos ou ingerido alimentos nas últimas 2h. A saliva será diluída (70% saliva e 30% glicerol), e posteriormente misturada à saliva artificial de McBain (1:50) para formação do biofilme cariogênico. Amostras (4 mm x 4 mm) de dentina bovina (n=90) serão preparadas para a formação do biofilme microcosmo por 5 dias, o qual será tratado diariamente (1x60s/dia) com as concentrações de CaneCPI-5 0,1, 0,5ou 1,0 mg/ml, clorexidina 0,12% (controle positivo) e PBS (controle negativo). No ensaio 1, será feita a avaliação do perfil do biofilme formado (Unidades formadoras de colônias). No Ensaio 2, as bactérias vivas e mortas no biofilme serão evidenciadas por fluorescência com microscópio confocal. No Ensaio 3, a desmineralização provocada pelo biofilme nas condições estudadas será mensurada por microradiografia transversal. Os dados serão submetidos à análise estatística apropriada (teste paramétrico ou não paramétrico, p<0,05).