Busca avançada
Ano de início
Entree

Diversidade arqueológica na bacia do alto Rio Madeira

Processo: 18/24509-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2019
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Arqueologia - Arqueologia Pré-histórica
Pesquisador responsável:Eduardo Góes Neves
Beneficiário:Thiago Kater Pinto
Instituição-sede: Museu de Arqueologia e Etnologia (MAE). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/25157-0 - Pessoas, plantas e paisagens na Amazônia, AP.JP
Bolsa(s) vinculada(s):21/13754-0 - Análises formais e petrográficas comparativas de cerâmicas antigas da América do Sul tropical e do Caribe, BE.EP.DR
Assunto(s):Diversidade cultural   Paisagem   Cerâmica arqueológica   Etnohistória   História indígena   Rio Madeira   Amazônia

Resumo

A região do alto Rio Madeira, no Sudoeste amazônico, configura-se como um contexto particular, onde diferentemente de boa parte do restante da Amazônia, há ocupações humanas longas e contínuas durante quase todo o Holoceno, além de uma ampla diversidade linguística e cultural verificada no presente. Correlato a esse cenário, identifica-se uma pluralidade de contextos arqueológicos, observados tanto pelos artefatos, quanto pela construção e modificação da paisagem, que como sugerem as terras pretas, ocorrem pelos menos desde 6500 anos AP. Sabe-se que os sítios próximos às cachoeiras a jusante do alto Rio Madeira possuem um alto potencial informativo, como indicam os anos de pesquisa no Sítio Teotônio. Os sítios nas cachoeiras a montante, no entanto, são uma lacuna a respeito do registro arqueológico, e por isso se pretende verificar se esse padrão arqueológico de diversidade é consistente para estes sítios. Esta pesquisa busca, portanto, inferir se os processos históricos de longa-duração que gestaram a diversidade linguística e cultural identificada no Sudoeste amazônico se atestam no passado por meio do registro arqueológico dos últimos 3000 anos na região. Além disso, questiona, se ao longo dos milênios, as paisagens compostas pelas cachoeiras foram preferidas pelas populações indígenas. Através de intersecções entre os dados obtidos por essa pesquisa, pelas fontes etnohistóricas e linguísticas, almeja-se construir uma história indígena de longa-duração. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
THIAGO KATER; RAFAEL DE ALMEIDA LOPES. Braudel nas Terras Baixas: caminhos da Arqueologia na construção de Histórias Indígenas de longa duração. Revista de História, n. 180, . (18/21941-1, 18/24509-3)
THIAGO KATER. A temporalidade das ocupações ceramistas no sítio Teotônio. Bol. Mus. Para. Emílio Goeldi. Ciênc. hum., v. 15, n. 2, . (17/11817-9, 18/24509-3)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.