Busca avançada
Ano de início
Entree

Domesticidade e habitação social moderna na França e no Brasil: historiografia e patrimônio

Processo: 18/24251-6
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 03 de agosto de 2019
Vigência (Término): 02 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Fundamentos de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Flávia Brito Do Nascimento
Beneficiário:Flávia Brito Do Nascimento
Anfitrião: Charlotte Vorms
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, França  
Assunto(s):Conjuntos habitacionais   Patrimônio cultural   História urbana   Habitação social

Resumo

A presente pesquisa pretende estudar as formas de morar dos conjuntos residenciais sugeridos e implementados pelos modelos de arquitetura e urbanismo modernos de racionalização da habitação, construção do trabalhador e de inserção da moradia mínima nos conjuntos habitacionais. Tomando parte nas pesquisas sobre domesticidade e formas de morar procuraremos estudar as relações de gênero e o papel feminino na formalização de programas habitacionais, seja sob a ótica dos moradores, seja na perspectiva dos promotores - arquitetos, engenheiros e assistentes sociais. Serão investigados os modelos de vivenda propagados pelo movimento moderno de habitação mínima no exterior, notadamente na França e sua interpretação e apropriação no Brasil, problematizando os modelos da morar para os trabalhadores promovidos pelo Estado. A partir de pesquisa documental, bibliográfica e iconográfica estudaremos os padrões de moradia propostos nos conjuntos residenciais desde o começo do século XX até a construção dos grand ensembles do pós-guerra passando pelas emblemáticas habitações corbusianas. Desde os anos 1990 a historiografia brasileira tem se debruçado em alargar a compreensão da arquitetura, incluindo, por exemplo, a habitação social, o conhecimento desta produção ainda merece aprofundamento. As relações dessa produção com a América Latina, no que se refere às formas de morar, e, muito além disso, a produção habitacional francesa são territórios ainda inexplorados na bibliografia nacional. Para tanto, pretende-se fazer um estágio de pesquisa no Centre d'histoire sociale du XXème siècle da Université Paris 1 Panthéon-Sorbonne, que reúne pesquisadores que historicamente se debruçam sobre o tema, sendo esta um oportunidade ímpar de consolidação de campo de pesquisas no Brasil.