Busca avançada
Ano de início
Entree

Colletotrichum acutatum: dispersão de conídios durante condições extremas de clima (chuva e/ou vento) e detecção em folhas assintomáticas pela técnica de high-resolution melting (HRM)

Processo: 19/02604-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 04 de junho de 2019
Vigência (Término): 03 de setembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitossanidade
Pesquisador responsável:Maria Candida de Godoy Gasparoto
Beneficiário:Maria Candida de Godoy Gasparoto
Anfitrião: Natalia Aparecida Peres Lauretti
Instituição-sede: Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Registro. Registro , SP, Brasil
Local de pesquisa : University of Florida, Gainesville (UF), Estados Unidos  
Assunto(s):Fungos   Epidemiologia

Resumo

Colletotrichum acutatum sensu lato é o agente causal da podridão floral dos citros (PFC) e da antracnose do morangueiro. Conídios produzidos em acérvulos presentes em flores (citros e morangueiro) e frutos (morangueiro) infectados, e esporos provenientes de apressórios nas folhas (citros e morangueiro) são as fontes de inóculo destas doenças. A chuva é essencial para dispersar os esporos do patógeno e longos períodos de molhamento devem ocorrer para causar epidemias importantes. No Brasil e, principalmente, nos EUA é comum a ocorrência de ventos mais fortes quando as condições são favoráveis à PFC e à antracnose. Não têm sido realizados estudos para avaliar a dispersão do patógeno durante estas condições extremas de clima. Além disto, é importante desenvolver um método eficiente para detectar C. acutatum em folhas de citros assintomáticas para confirmar se há disseminação do patógeno dos viveiros de citros para novos pomares, como relatado em viveiros de morango. Nossos objetivos são: (i) investigar se diferentes combinações de vento e chuva simulados podem remover e dispersar com sucesso conídios presentes na superfície de folhas de citros e morangueiro e qual distância estes esporos podem alcançar a partir da fonte de inóculo;(ii) estudar se o padrão de dispersão do patógeno se altera quando conídios produzidos em acérvulos sobre frutos e flores são expostos a diferentes combinações de chuva e vento; (iii) adaptar, desenvolver e testar a técnica HRM para a detecção de C. acutatum patogênico à citros em folhas assintomáticas. Este pode ser o primeiro estudo a avaliar exaustivamente a dispersão de C. acutatum sensu lato em diferentes condições meteorológicas simuladas e a testar a técnica HRM em detecção de C. acutatum patogênico à citros.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.