Busca avançada
Ano de início
Entree

Modelagem individual de características funcionais de plantas sob condições ambientais variáveis em região tropical

Processo: 19/06486-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:David Montenegro Lapola
Beneficiário:Bárbara Aparecida Pereira da Rocha Cardeli
Instituição-sede: Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas, SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/02537-7 - AmazonFACE/ME: projeto de integração Modelagem-Experimento do Amazon-FACE - o papel da biodiversidade e feedbacks climáticos, AP.PFPMCG.JP
Assunto(s):Ecologia funcional

Resumo

Diversos modelos da biosfera terrestre foram desenvolvidos para melhor entender a resposta da vegetação às perturbações humanas, os chamados modelos dinâmicos de vegetação global - DGVMs. No entanto, esses modelos geram uma resposta substancialmente variável sobre o papel da biosfera no ciclo de carbono global à luz dos cenários de mudança climática. Esta variação pode ser parcialmente explicada pela generalização feita nas DGVMs no que diz respeito à diversidade funcional das plantas (ou seja, um elevado número de estratégias de crescimento é atualmente representado por apenas alguns tipos funcionais nas DGVMs atuais). Modelos baseados em atributos funcionais surgem como uma alternativa promissora melhor caracterização dos mecanismos sobreviventes e estratégias de crescimento adotadas pelas plantas. A lógica de nível de dossel usada por muitos (mas não todos) DGVMs pode ser um impedimento para tirar o máximo proveito de modelos baseados em traços, considerando que os traços podem variar em um sentido interespecífico, mas também em um nível intraespecífico e individual. Assim, neste projeto de MS, faremos a modificação do modelo de Avaliação de Traços Funcionais de Carbono e Ecossistema (CAETÊ) para incluir a competição individual por recursos ambientais e avaliá-los com base na formulação baseada em dossel atualmente implementada no modelo. Isso deve ser feito considerando que a competição adequada entre as estratégias de vida de plantas múltiplas do CAETÊ só surgirá com uma formulação individual / demográfica de aquisição e acumulação de carbono. Utilizaremos um esquema de demografia de vegetação simples já existente e nos adaptaremos ao modelo CAETÊ, que usa uma heurística de trade-offs para simular características variáveis de plantas.