Busca avançada
Ano de início
Entree

Infecção endodôntica primária versus secundária: perfil inflamatório e lipídico, perfil microbiano, níveis de endotoxinas e de lta antes e durante a terapia endodôntica e sucesso após 18 meses de tratamento

Processo: 19/05826-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Endodontia
Pesquisador responsável:Marcia Carneiro Valera Garakis
Beneficiário:Victoria Garcia de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/01703-9 - Infecção endodôntica primária versus secundária: perfil inflamatório e lipídico, perfil microbiano, níveis de endotoxinas e de ácido lipoteicóico antes e durante a terapia endodôntica e sucesso após 18 meses de tratamento., AP.R
Assunto(s):Microbiologia

Resumo

Os objetivos do presente estudo serão: a) quantificar endotoxinas (EU/ml), ácidolipoteicóico (LTA) e carga microbiana em dentes com infecções endodôntica primária esecundária, antes e após o preparo biomecânico (PBM) e após o uso de diferentesmedicações intracanais (MIC); b) analisar os níveis de IL-1, IL-6, IL-10 e TNF-,Resolvina E1, Resolvina E2 e Lipoxina A4 do fluido intersticial nas infecçõesendodônticas primárias com o uso de diferentes medicações; c) monitorar e relacionarníveis de endotoxinas (EU/mL), LTA e micro-organismos cultiváveis com a volumetria(UFC/mL) da lesão periapical em casos de infecção endodôntica secundária tratadasem única ou múltiplas sessões e correlacionar estes dados com o volume da lesãoperiapical e com sinais e sintomas clínicos; d) comparar o sucesso do tratamentoendodôntico nos casos de infecção endodôntica secundária após 18 meses, realizadosem sessão única e múltiplas sessões. Serão selecionados 60 dentes com necrosepulpar e lesão periapical, sendo 36 dentes com infecção primária e 24 dentes cominfecção secundária. Após abertura coronária, será realizada coleta inicial paraverificação da presença de infecção nos canais radiculares. Em seguida, será realizadotratamento endodôntico utilizando solução de NaOCl 2,5% e sistema reciprocanteReciproc (VDW, Munich, Germany) e os dentes divididos em 5 grupos de acordo com oprotocolo de tratamento: I)tratamento de dentes com infecção endodôntica primária emsessão múltipla MIC: G1- Ca(OH)2: hidróxido de cálcio P.A. + solução salina fisiológica;G2- Ca(OH)2 + CLX: hidróxido de cálcio P.A. + clorexidina gel 2% G3 - NAC + SS: Nacetilcisteína+ solução salina fisiológica e II)retratamentos endodônticos: G4 -retratamento em sessão única (RU) e G5 - retratamento em múltiplas sessões commedicação de Ca(OH)2 P.A. + solução salina fisiológica (RM). Serão realizadas coletasdo canal radicular após o PBM, remoção da MIC e após ampliação foraminal. Paratodas as coletas serão realizados testes de atividade antimicrobiana por culturamicrobiológica (UFC/mL), análise da quantificação de endotoxinas (EU/mL) pelo lisadode amebócitos de Limulus, detecção e quantificação de ácido lipoteicóico (LTA) pelométodo de ELISA e análise da presença de citocinas pelo teste ELISA. Será realizadaa volumetria da destruição óssea periapical através da TCFC utilizando o softwareNemotec® para os grupos de retratamento. Além disso, será realizado controle dotratamento endodôntico, para comparar a volumetria da lesão periapical antes e após18 meses de tratamento realizado em sessão única x múltiplas sessões nos casos deinfecção endodôntica secundária. Todos os dados serão analisados estatisticamente.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)