Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo in vivo dos efeitos do extrato seco fitoterápico Polypodium leucotomos no câncer oral

Processo: 18/17495-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Nilva de Karla Cervigne
Beneficiário:Guilherme Cuoghi Bellato
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Jundiaí (FMJ). Prefeitura Municipal de Jundiaí. Jundiaí , SP, Brasil
Assunto(s):Neoplasias bucais   Carcinoma de células escamosas   Transformação celular neoplásica   Antineoplásicos   Medicamentos fitoterápicos   Modelos animais de doenças

Resumo

O câncer oral está entre os 8 carcinomas mais comuns do mundo e possui altas taxas de incidência no Brasil, e representa uma importante causa de morbidade e mortalidade. O Carcinoma Espinocelular Oral (CEC) é a forma mais prevalente do câncer de cavidade oral e, apesar dos avanços e descobertas nos últimos anos, o prognóstico dessa doença ainda é imprevisível, e seu tratamento ainda é convencionado à cirurgia - muitas vezes mutilante - associada ou não a radio e a quimioterapia. O fitoterápico Polypodium leucotomos tem sido avaliado em estudos da literatura para a determinação de características anti-inflamatórias, imunorreguladoras, e antioxidantes. Suspeita-se também de uma provável ação supressora tumoral, mas quase nada se sabe claramente a respeito. Por esses, e alguns outros motivos descritos adiante, este fitoterápico parece um alvo bastante plausível para novos estudos na busca de agentes terapêuticos potenciais do câncer oral. O objetivo deste estudo é avaliar os efeitos advindos da manipulação/tratamento do extrato fitoterápico Polypodium leucotomos em camundongos BALB/C quimicamente induzidos, ou não, para o desenvolvimento do CEC de língua. As análises macro e microscópicas ocorrerão ao longo do experimento, desde o início da indução química do câncer oral, até todos os referidos períodos de tratamento com PL para todos os grupos/subgrupos propostos neste trabalho. Biopsias das lesões orais tratadas e não tratadas com PL serão coletadas para extração de mRNA e/ou proteínas, a fim de averiguar a modulação da expressão dessas moléculas durante a progressão tumoral, por este fitoterápico. Este estudo tem o potencial de demonstrar, pela primeira vez, o efeito antitumoral in vivo do extrato Polypodium Leucotomos como um agente eficaz de prevenção do câncer oral.