Busca avançada
Ano de início
Entree

Relação entre o nível de apoio social percebido e o autocuidado de pacientes com insuficiência cardíaca hospitalizados

Processo: 18/26448-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Enfermagem - Enfermagem Médico-cirúrgica
Pesquisador responsável:Camila Takáo Lopes
Beneficiário:Hector Martins Megiati
Instituição-sede: Escola Paulista de Enfermagem (EPE). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Cardiologia   Insuficiência cardíaca   Apoio social   Autocuidado   Pacientes   Cuidados de enfermagem   Análise transversal   Regressão linear

Resumo

Introdução: No Brasil, há uma lacuna na literatura quanto à relação entre o apoio social e o autocuidado entre pacientes com insuficiência cardíaca (IC). Este conhecimento poderia determinar quais dimensões do apoio social são mais relacionados aos comportamentos de autocuidado, norteando abordagens terapêuticas mais preditivas e mais assertivas. Objetivo: Verificar a relação entre o nível de apoio social percebido e o autocuidado de pacientes com IC hospitalizados. Materiais e métodos: Será realizado um estudo observacional, analítico, transversal, com 96 pacientes com IC crônica hospitalizados em qualquer setor do Hospital São Paulo, por qualquer motivo. A variável independente do estudo será o apoio social. A variável dependente será o nível de autocuidado. As covariáveis serão classificadas em sociodemográficas e clínicas. O apoio social será mensurado por meio dos escores de percepção quanto ao apoio social da Escala de Apoio Social do Medical Outcomes Study (MOS-SSS) de cada dimensão: apoio emocional/informacional; apoio material; apoio afetivo; apoio social afetivo. O nível de autocuidado será considerado uma variável contínua, de acordo com os escores de cada seção da Escala de Autocuidado em Insuficiência Cardíaca (EAC-IC). As variáveis sociodemográficas e clínicas serão analisadas de forma descritiva, por meio de medidas de tendência central e dispersão. As relações entre os escores de cada um dos componentes de autocuidado da IC e os escores de percepção quanto ao apoio social de cada dimensão da MOS-SSS serão verificadas por meio de regressão linear simples e múltipla, com controle para as covariáveis sociodemográficas e clínicas.