Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da influência do cimento ósseo a base de silicato de cálcio, modificada com diferentes cátions, no reparo ósseo

Processo: 19/06682-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Luana Marotta Reis de Vasconcellos
Beneficiário:Rafaella Souza Guardia
Instituição-sede: Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José dos Campos. São José dos Campos , SP, Brasil
Assunto(s):Histologia   Silicatos   Bioatividade   Reparo ósseo   Histomorfometria óssea   Teste de biocompatibilidade

Resumo

Diversos materiais são empregados para auxiliar no reparo ósseo, sendo que atualmente o fosfato tricálcico (TCP) e o biovidro são os mais utilizados. Entretanto, o cimento de silicato de cálcio (CaSiO3), surge como uma alternativa, uma vez que consegue combinar a bioatividade do biovidro com a capacidade do TCP em formar cimento, sendo a wollastonita a precursora deste cimento, devido a sua alta reatividade com a solução ativadora, além de exibir biocompatibilidade superior à dos cimentos a base de fosfato. Baseando-se neste contexto, o objetivo neste projeto será avaliar o impacto de diferentes soluções ativadoras, nas fases ± e ² wollastonita para a formação de cimento de silicato de cálcio, na diferenciação osteogênica. Amostras a base de silicato de cálcio serão produzidas com diferentes soluções ativadoras, a qual será constituída por uma solução tampão (pHH7), composta por fosfato e cátions, sendo que os cátions serão variados Na+, K+ e NH4+. Estas diferentes soluções ativadoras promoverão alterações na composição final do cimento como suas características mecânicas e biológicas. Posteriormente, os diferentes materiais obtidos, a base de silicato de cálcio, serão analisados por meio de estudo in vivo em 12 ratos Wistars que serão submetidos a confecção de defeito crítico de 3,0mm na tíbia e receberão aleatoriamente preenchimento com os três materiais experimentais, além do grupo controle (coágulo). Após o período de 3 semanas, todos os animais serão eutanasiados. As tíbias serão acondicionadas em formol a 10% e submetidas a análise histológica e histomorfométrica para visualização e também quantificação da neoformação óssea nos defeitos críticos. Os dados obtidos serão estatisticamente analisados, inicialmente por meio do teste de normalidade visando a aplicação do teste estatístico adequado. O nível de significância adotado será o valor convencional de 5%.