Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos do lapatinibe sobre as células do carcinoma mamário canino Her2+ e Her2- cultivadas in vitro

Processo: 18/14041-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Medicina Veterinária - Clínica e Cirurgia Animal
Pesquisador responsável:Renee Laufer Amorim
Beneficiário:Antonio Fernando Leis Filho
Instituição-sede: Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):19/26266-3 - Regulação do receptor de hidrocarboneto arílico sobre o ErbB4 canino, BE.EP.MS
Assunto(s):Oncologia veterinária   Neoplasias mamárias   Tratamento do câncer   Inibidores enzimáticos   Cadelas

Resumo

As neoplasias mamárias em cadelas, assim como em mulheres, são de ocorrência espontânea e ocorrem frequentemente. Por este motivo, a cadela, é considerada o principal modelo experimental para esta doença em humanos. Vários fármacos são utilizados como tratamento coadjuvante das neoplasias mamárias, contudo alguns tumores não respondem adequadamente aos protocolos instituídos. O lapatinibe, um inibidor da enzima tirosina-quinase, apresenta-se como uma alternativa terapêutica, especialmente frente as neoplasias HER2+. O HER2 é um proto-oncogene superexpresso em 25 a 30% das neoplasias mamárias em mulheres, e 21,8% em cães. Em vista disso, o projeto pretende avaliar o efeito anti-tumoral do lapatinibe em células de carcinoma mamário canino HER2+ in vitro. Os grupos serão compostos de células de carcinoma mamário HER2+, HER2- e em células mamárias sem alterações neoplásicas, tratadas ou não com lapatinibe. As amostras serão provenientes de um banco de células de carcinoma mamário canino previamente estabelecido. A concentração do lapatinibe para inibir 50% (IC50) do crescimento das células será determinada. A expressão de HER2 será avaliada por western blotting. Serão avaliadas a viabilidade celular (azul de tripan, MTT) e migração celular (wound healing). Espera-se que o lapatinibe apresente resultados semelhantes aos encontrados em humanos, inibindo o crescimento tumoral nas neoplasias HER2+, estabelecendo sua via de ação na espécie canina. (AU)