Busca avançada
Ano de início
Entree

Capacidade absortiva de empresas do complexo aeronáutico brasileiro: um foco sobre as políticas de compra da Força Aérea Brasileira (FAB)

Processo: 19/05238-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Economia - Economia Industrial
Pesquisador responsável:Thiago Caliari Silva
Beneficiário:Mayara Gomes Bovo
Instituição-sede: Divisão de Engenharia Mecânica (IEM). Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA). Ministério da Defesa (Brasil). São José dos Campos , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:18/02763-5 - Capacidade Absortiva de empresas do complexo aeronáutico Brasileiro: Um foco sobre as políticas de Compra da Força Aérea Brasileira (FAB), AP.R
Assunto(s):Aeronáutica   Contrato comercial   Inovações tecnológicas

Resumo

O projeto de pesquisa tem como objetivo estudar a capacidade de absorção (CA) das empresas do complexo aeronáutico que participaram de políticas de compras realizadas pela Força Aérea Brasileira (FAB). Contratos de compra direcionada são um modo de utilizar o poder de compra do Estado na busca da capacitação tecnológica e, se bem delineados, podem promover desenvolvimentos importantes na cadeia produtiva setorial e na capacitação tecnológica. Servem como desenvolvimento tecnológico direto (no próprio produto) ou indireto (pelas redes de cooperação estabelecidas) entre os agentes produtivos, científicos e institucionais dos países/empresas acordantes. Porém, apesar de relevante, tais contratos devem ser bem especificados e procurar abranger uma gama considerável de agentes e instituições se o intuito é o fortalecimento do sistema de inovação (e não apenas a capacitação de empresas pontuais). Além disso, as empresas nacionais recebedoras de processos de transferência tecnológica precisam estar preparadas para conseguir absorver essa tecnologia. No Brasil, a Embraer é a principal empresa do setor aeronáutico, sendo desenvolvedora e parceira tecnológica principal dos acordos de compra pública, com a existência de algumas empresas atuando nas margens, apresentando soluções em sistemas específicos. É verdade também que desenvolvimentos anteriores (programas Xavante, AM-X e AL-X) e atuais (programa KC-390 e F-X2) criaram e continuam a aumentar a capacitação estabelecida por empresas da cadeia aeronáutica, definindo trajetórias. Porém, algumas vezes projetos específicos sofrem problemas de adequação e continuidade, (como no caso da fabricação do motor do AM-X pela empresa Celma), quer seja por restrições orçamentárias estabelecidas posteriormente, por questões técnicas ou por escolhas produtivas dos agentes privados. Ainda, a organização atual da Embraer como coordenadora da rede de fornecimento e integradora de sistemas tem delegado atividades significativas de tecnologia a demais empresas que se localizam predominantemente fora do país (atualmente mais de 80% das atividades produtivas de uma aeronave tem sido realizada por fornecedores externos, aumentando a dependência de todo o complexo aeronáutico). Deste modo, estudar a capacidade de absorção obtida pelas empresas nacionais em processos de compra realizados pela FAB é uma medição importante para entender o nível de capacitação atingido por tais empresas, que impactem seus resultados e de todo o sistema de inovação do complexo aeronáutico brasileiro.