Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento floral em maracujazeiro: uma abordagem transcriptômica para a ontogênese da corona

Processo: 18/24742-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Agronomia - Fitotecnia
Pesquisador responsável:Marcelo Carnier Dornelas
Beneficiário:Mariana Bombardi da Silva
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Genômica   Produção agrícola   Desenvolvimento vegetal   Passiflora   Maracujá   Transcriptoma

Resumo

O Brasil é o principal produtor mundial de maracujá, com uma produção de quase 1 milhão de toneladas, obtidas em cerca de 50 mil hectares. O maracujá azedo ou maracujá amarelo (Passiflora edulis var. flavicarpa) pertence ao gênero Passiflora, que é constituído por cerca de 600 espécies, distribuídas principalmente no continente americano, sendo em sua maioria originárias da América do Sul. Apesar de sua importância, há uma grande carência de conhecimento sobre o desenvolvimento e a biologia reprodutiva no gênero Passiflora. Neste gênero há exemplos de plantas que produzem estruturas complexas cujas origens ainda não foram elucidadas, como os filamentos da corona na flor. A corona possui uma grande influência no mecanismo de polinização e, portanto, na produção de frutos. A literatura sugere que os filamentos da corona possam ser estames ou pétalas modificadas, bem como órgãos sui generis. A nossa hipótese é de que mecanismos moleculares conservados, envolvidos em atividade meristemática, podem ter um papel importante na origem da corona. Com o uso de ferramentas apropriadas ao estudo do desenvolvimento, que incluem microscopia óptica e eletrônica, associadas a técnicas de análise transcriptoma e de expressão gênica, objetivamos desvendar os mecanismos celulares e moleculares responsáveis pela determinação da identidade e da ontogênese de órgãos que representam importantes novidades evolutivas em plantas, o que poderá trazer contribuições preciosas para futuros estudos de incremento de produção em espécies do gênero Passiflora com interesse comercial, como o maracujazeiro, e pode impactar na produção de seus frutos. (AU)