Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de biossensores eletroquímicos impressos em 3 dimensões (3D) com polímero PLA e grafeno para a determinação de biomoléculas e diagnóstico de doenças

Processo: 19/00473-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Inorgânica
Pesquisador responsável:Juliano Alves Bonacin
Beneficiário:Cristiane Kalinke
Instituição-sede: Instituto de Química (IQ). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/22127-2 - Desenvolvimento de novos materiais estratégicos para dispositivos analíticos integrados, AP.TEM
Assunto(s):Sensores eletroquímicos   Técnicas biossensoriais   Impressão tridimensional   Polímeros   Grafenos   Diagnóstico   Febre amarela   Doença de Alzheimer

Resumo

Os sensores e biossensores eletroquímicos permitem o diagnóstico de doenças e maneira rápida e precisa, empregando dispositivos de fácil manufatura e manuseio. A necessidade de utilização de novas metodologias para a detecção de certas doenças torna viável o desenvolvimento destes sensores. As técnicas eletroquímicas apresentam ainda algumas vantagens em relação ao baixo custo instrumental e elevada sensibilidade, permitindo a detectabilidade de espécies em amostras biológicas, com resultados precisos e confiáveis em curtos períodos de tempo, se comparados a outros métodos convencionais utilizados para a detecção de doenças. Assim, empregando polímero PLA modificado com grafeno, pretende-se confeccionar eletrodos impressos 3D e aplicá-los na determinação de biomoléculas/biomarcadores relacionadas a presença de alergias e doenças. Os biossensores serão utilizados no desenvolvimento de metodologias analíticas alternativas, pela incorporação de anticorpos para a detecção de BSA (Albumina de Soro Bovino), relacionada a alergias provocadas pelo leite de vaca; e antígeno IgG para detecção de Febre Amarela. Ainda, pretende-se realizar a detecção eletroquímica de biomarcadores relacionados à Doença de Alzheimer. Com isso, espera-se obter dispositivos sensíveis, seletivos e robustos, que apresentem elevada detectabilidade para as espécies supracitadas. (AU)