Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel da AMPK sobre a remodelação óssea em modelo experimental de movimentação dentária

Processo: 19/01596-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de junho de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Sandra Yasuyo Fukada Alves
Beneficiário:Letícia Fernanda Duffles Rodrigues
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Bioquímica   Osteoclastos   Osteoblastos   Proteínas quinases ativadas por AMP   Remodelação óssea   Metabolismo energético   Técnicas de movimentação dentária   Histomorfometria   Reação em cadeia da polimerase via transcriptase reversa quantitativa (qRT-PCR)   Western blotting

Resumo

A movimentação dentária ortodôntica (MO) resulta de um intenso remodelamento ósseo em ambiente estéril. A aplicação de um estímulo mecânico ao dente gera uma cascata de eventos físicos e biológicos no periodonto, formando uma área de tensão e outra de pressão no alvéolo do dente, sob ação de osteoblastos e osteoclastos respectivamente. Esses tipos celulares demandam uma alta taxa de energia durante a diferenciação e especialmente durante sua ação, levando a ativação de AMPK. A AMPK é um complexo de proteína quinase serina/treonina heterotrimérica, composta por três subunidades: alfa (±), beta (²) e gama (³). Essa proteína possui um papel central na homeostase energética, atuando em situações de déficit energético (em redução dos níveis de ATP ou aumento de AMP), com o objetivo de inibir processos que consomem energia e estimulando os produtores. Vários estudos têm avaliado o papel da AMPK em osteoclastos e osteoblastos individualmente. Considerando que o osteoblasto é um importante controlador da diferenciação e função de osteoclastos, o presente projeto tem como objetivo estudar o papel da AMPK sobre a remodelação óssea em modelo experimental de MO. Para isso serão utilizados animais deficientes condicionais de AMPK em osteoclastos (CtskCre AMPKflox/flox) e em osteoblastos (Col2a1Cre AMPKflox/flox), submetidos a colagem de mola de NiTi no primeiro molar superior direito, ancorada aos incisivos. Serão avaliados os seguintes parâmetros: distância alcançada por meio da MO por histomorfometria em lâminas coradas em H&E; número de osteoblastos em lâminas coradas em Tricrômico de Masson e de osteoclastos em reação de TRAP; microarquitetura óssea nas maxilas por meio de MicroCT; marcadores de osteoclastos e osteoblastos nos ossos alveolares por qPCR e Western Blot; e mediadores inflamatórios no soro dos animais pela técnica de ELISA. (AU)