Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da requeima do resíduo de madeira de eucalipto (RME) produzido durante o processo de produção de óleo de soja

Processo: 18/22820-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Arquitetura e Urbanismo - Tecnologia de Arquitetura e Urbanismo
Pesquisador responsável:Jorge Luís Akasaki
Beneficiário:Sabrina Pereira da Silva
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Ilha Solteira. Ilha Solteira , SP, Brasil
Assunto(s):Resíduos florestais   Impactos ambientais   Requeima   Novas fontes de energias   Óleo de soja   Eucalipto   Cinzas

Resumo

Está em ascensão a busca por novos materiais alternativos e renováveis para diversas finalidades, principalmente, que minimizem os impactos ambientais e que produza energia de forma sustentável. Diversas empresas já são autossuficientes e geram sua própria energia de maneira limpa no processo industrial. Este trabalho propõe reutilizar as cinzas de eucalipto geradas pela queima desta madeira durante a produção de óleo de soja da Indústria Cooperativa Agroindustrial dos Produtores Rurais do sudoeste Goiano (COMIGO), localizada na cidade de Rio Verde - GO, fundada em 1975. No processo fabril, utiliza-se como fonte de energia a madeira de eucalipto e, quando queimada, gera uma grande quantidade de finos, denominado de cinzas de eucalipto. Desta forma, este projeto tem como proposta estudar os finos gerados neste processo, cuja finalidade é aglutinar este componente com algum tipo de ligante formando corpos de provas com o resíduo. Com estes corpos sólidos deseja-se requeimá-los gerando, portanto, energia limpa para o processo fabril e, dando um destino ao resíduo que antes seria descartado e que possui propriedades fisico-químicas interessantes do posto de vista energético e com considerável teor de carbono. Alguns destes ligantes já estão sendo estudados como é o caso do amido de milho e mandioca, embora, outros tipos possam ser utilizados também como, por exemplo, a resina sintética e bagaço de cana de açúcar. O método utilizado consistirá na formação de corpos de provas (5x5x5 cm) com cinzas da Indústria COMIGO e serão determinados experimentalmente a quantidade de cinzas de eucalipto, a proporção de água, bem como a quantidade de aglutinante que, no caso, será utilizado o amido de milho. Espera-se, portanto, conseguir proporcionar com este trabalho a geração de uma nova fonte de energia que antes seria descartada. Além disso, busca-se também uma maneira eficaz de reagrupar as cinzas, bem como conseguir uma geração significativa de energia a partir da requeima deste novo material.