Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do laser sistêmico em área de rebordo alveolar fissurado enxertado com osso autógeno: análise por estereofotogrametria

Processo: 19/00935-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Periodontia
Pesquisador responsável:Ana Lucia Pompeia Fraga de Almeida
Beneficiário:Leonardo Guedes da Silva Moraes
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Transplante ósseo   Transplante autólogo   Fissura palatina   Fenda labial   Laser   Fotogrametria   Espectroscopia infravermelha

Resumo

As fissuras labiopalatinas estão entre as malformações de face mais comuns, acarretam implicações estéticas por deixarem marcas na face e também desencadeiam problemas funcionais relacionados a oclusão, funcionamento do mecanismo velofaringeano e ouvido. As fissuras de lábio e palato representam maior desafio reabilitador e mobilizam um protocolo de tratamento mais extenso. O enxerto de osso autógeno é considerado o padrão ouro para preenchimento do rebordo alveolar segmentado pela fissura, sendo que o osso medular preferencial ao cortical devido a grande quantidade de células ósseas e sua capacidade de induzir a formação de novo osso. O enxerto ósseo proveniente da crista ilíaca tem sido o material de escolha devido a sua abundância, entretanto ele apresenta algumas desvantagens como morbidade da área doadora, dor pós-operatória, distúrbios sensoriais e claudicação, prolongando seu tempo de internação e reabsorção maior que 40% no primeiro ano após enxertia; uma das alternativas seria a remoção de ósseo da sínfese mentoniana. O laser de baixa intensidade tem sido utilizado com sucesso na regeneração óssea em estudos laboratoriais. Uma outra forma de otimizar as propriedades do laser de baixa intensidade é a utilização do método ILIB (Intravascular laser irradiation of blood), um método seguro e eficiente que tem sido utilizado na Rússia, China e Irã há mais de 20 anos. O objetivo deste estudo é avaliar o efeito do laser sistêmico ou pontual em área de rebordo alveolar fissurado enxertado com osso autógeno. A amostra será constituída de 28 indivíduos com fissura de lábio e palato de 9 a 15 anos de ambos os sexos que necessitem de enxerto ósseo alveolar secundário que serão divididos em dois grupos: grupo 1 (controle) - enxerto ósseo alveolar na área do rebordo alveolar fissurado; grupo 2 (Ilib) - enxerto ósseo com aplicação de laser sistêmico. O laser utilizado no Grupo 1 será o Therapy EC no comprimento de onda no espectro vermelho (660 nm ± 10 nm), com potência útil de 100 mW ± 20 %. por 30 minutos, nos tempos T0L - 24 horas pré-operatório, T1L - pós-operatório imediato, T2L - 24 horas do pós-operatório e T3L - 48 horas do pós-operatório. A dor do pós-operatório será avaliada com base nas respostas subjetivas dos pacientes, através de Escala Analógica Visual nos tempos T1EA - 24 horas do pós-operatório e T2EA - 48 horas do pós-operatórios.