Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da eficiência de dentifrícios experimentais com nanopartículas de hidroxiapatita com ou sem fluoreto, na prevenção da cárie dentária

Processo: 19/03866-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Odontologia Social e Preventiva
Pesquisador responsável:Marília Afonso Rabelo Buzalaf
Beneficiário:Caroline Fernanda da Silva Ribeiro
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Bauru (FOB). Universidade de São Paulo (USP). Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Bioquímica   Nanopartículas   Dentifrícios   Hidroxiapatita   Cárie dentária   Técnicas in vitro

Resumo

Os dentifrícios são provavelmente os produtos mais utilizados na Odontologia. Novos produtos biofuncionais, como por exemplo os contendo hidroxiapatita ou nanopartículas de hidroxiapatita (nanoHAP), estão sendo desenvolvidos com o intuito de interferir positivamente no desenvolvimento e progressão da cárie dentária. Com isso, o objetivo deste estudo é avaliar a eficácia de novos dentifrícios tendo como princípio ativo nanoHAPpartículas de hidroxiapatita, em diferentes concentrações e própolis, associados ou não ao fluoreto, em lesões de cárie não cavitadas (lesões de mancha branca), a fim de diminuir a desmineralização e acelerar a remineralização do esmalte bovino. Para isso realizaremos um estudo in vitro utilizando blocos de esmalte bovino (4x4 mm; n=12 por grupo), os quais serão submetidos inicialmente à formação de lesões iniciais de cárie. Após a formação das lesões, os blocos serão subdivididos em 7 grupos, de acordo com o dentifrício utilizado, a saber: Grupo 1: dentifrício placebo (controle negativo); Grupo 2: dentifrício Crest (P&G, controle positivo); Grupo 3: dentifrício Premium: 10% nanoHAP, 5% própolis, 3% xilitol; Grupo 4: dentifrício Premium + flúor: 10% nanoHAP, 5% própolis, 3% xilitol, 1500 ppm fluoreto (como MFP); Grupo 5: dentifrício Combate: 5% nanoHAP, 2% própolis, 1% xilitol; Grupo 6: dentifrício Combate + fluoreto: 5% nanoHAP, 2% própolis,1% xilitol, 1500 ppm fluoreto (como MFP) e Grupo 7: dentifrício fluoreto e própolis: 2% própolis, 1500 ppm flúor (como MFP). Os blocos serão submetidos ao tratamento com os dentifrícios durante 7 dias, intercalado com cilagens de pH (RE > DES). As durezas superficiais serão avaliadas com auxílio de um microdurômetro durante três momentos do experimento: dente hígido (antes da lesão de cárie), pós lesão de cárie e pós tratamento com os dentifrícios, para cálculo da porcentagem de recuperação de dureza superficial. Os dados serão analisados em relação à normalidade e homogeneidade, para seleção do teste estatístico apropriado (p<0,05).