Busca avançada
Ano de início
Entree

Envolvimento do eixo de sinalização da proteína cinase II dependente de Ca2+-calmodulina (CaMKII) nas alterações elétricas e contráteis na fase crônica da Doença de Chagas em modelo murino

Processo: 18/22830-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Farmacologia Cardiorenal
Pesquisador responsável:Danilo Roman Campos
Beneficiário:Artur Santos Miranda
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Doença de Chagas   Antiarrítmicos   Insuficiência cardíaca

Resumo

A doença de Chagas (DC) acomete cerca de 6-7 milhões de pessoas no mundo. Dentre suas manifestações clínicas, a cardiopatia chagásica é a forma mais comum e severa, sendo uma das principais causas de insuficiência cardíaca (IC) na América Latina. Pacientes sintomáticos na fase crônica da doença frequentemente apresentam hipertrofia, arritmias e por fim IC, o que dificulta o tratamento dessas complicações, principalmente, quando simultâneas. Apesar dos avanços nos conhecimentos básicos sobre a fisiopatologia molecular da doença, os mecanismos moleculares que desencadeiam a programação celular que provoca as alterações eletromecânicas na doença ainda são pouco esclarecidos. Nesse sentido, o eixo de sinalização Ca2+/Calmodulina/Calmodulina cinase II (CAMKII) pode assumir um papel primordial. Sua hiperativação é associada ao aparecimento de arritmias e IC, através da modulação de diversos canais iônicos, transportadores e proteínas do maquinário contrátil do miócito ventricular. Assim, iremos elucidar o envolvimento desse eixo nas disfunções elétricas e contráteis do coração na fase crônica da DC e determinar se a manipulação da atividade da CAMKII pode ser um alvo promissor para o tratamento da cardiopatia chagásica. Utilizaremos o modelo murino infectado com T. cruzi que, após 200 dias de infecção, mimetiza a fase crônica sintomática da DC observada em seres humanos. Ao final do projeto pretendemos determinar se bloqueadores da via Ca2+/Calmodulina/Calmodulina cinase II podem ser considerados como potenciais agentes terapêuticos para o tratamento da cardiomiopatia chagásica.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.