Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos mecanismos fisiopatológicos dos transtornos psiquiátricos na doença de Fabry

Processo: 18/23367-0
Modalidade de apoio:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Biologia Molecular
Pesquisador responsável:João Bosco Pesquero
Beneficiário:Patrícia Varela Calais
Instituição Sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:20/14635-1 - Modelagem de doenças monogênicas para estudos fisiopatológicos e testes farmacológicos utilizando células especializadas derivadas de iPSCs, AP.TEM
Bolsa(s) vinculada(s):22/06590-3 - O papel do gene HIF1A na modulação da Doença de Ollier e na síndrome de Maffucci, BE.EP.PD
Assunto(s):Doença de Fabry   Depressão   Transtornos mentais
Palavra(s)-Chave do Pesquisador:Alfa-Galactosidase A | depressão | Doença de Fabry | Gla | transtornos psiquiátricos | Doenças de depósito lisossomal

Resumo

Doença de Fabry (DF) é um erro inato do metabolismo causado por mutações no gene GLA (GLA; OMIM * 300644), localizado no cromossomo X. Defeitos nesse gene levam a deficiência da ±-galactosidase A (alfa-Gal A; EC 3.2.1.22), responsável por degradar glicoesfingolipídeos, principalmente globotriaosilceramida (Gb3). A ±-Gal A está presente em todos os tecidos, logo, a deficiência dessa enzima resulta em uma doença multissistêmica progressiva. A DF abrange um amplo espectro fenotípico clínico, afetando principalmente sistemas cardíaco, renal, gastrointestinal e cerebrovascular. Sintomas neuropsiquiátricos estão sendo repetidamente descritos em pacientes com DF; no entanto, as bases fisiopatológicas da DF no sistema nervoso central são pouco conhecidas, portanto, não está claro se os sintomas psiquiátricos são causados pela doença ou se são secundários à mesma. Propomos aqui desenvolver um modelo in vitro para estudar a fisiopatologia da DF em neurônios. Primeiramente, usaremos a técnica de CRISPR Cas9 para editar células SH-SY5Y, uma linhagem capaz de se diferenciar em neurônios. Essas células serão caracterizadas quanto a eficiência da indução das mutações no gene GLA e ausência de off-targets, bem como para a deficiência da atividade enzimática da ±-Gal A. Em seguida as células serão diferenciadas em neurônios, sendo que o acúmulo de Gb3, bem como a sobrevida celular serão avaliados. Por fim, será realizado o transcriptoma das células editadas e selvagens a fim de analisar o possível impacto da deficiência da ±-Gal A em neurotransmissores, receptores, bem como na expressão de mRNAs relacionados a proteínas que estão alteradas em transtornos psiquiátricos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VARELA, PATRICIA; MASTROIANNI KIRSZTAJN, GIANNA; MOTTA, FABIANA L.; MARTIN, RENAN P.; TURACA, LAURO T.; FERRER, HENRIQUE L. F.; GOMES, CAIO P.; NICOLICHT, PRISCILA; MARA MARINS, MARYANA; PESSOA, JULIANA G.; et al. Correlation between GLA variants and alpha-Galactosidase A profile in dried blood spot: an observational study in Brazilian patients. ORPHANET JOURNAL OF RARE DISEASES, v. 15, n. 1, . (18/23367-0, 14/27198-8)

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas utilizando este formulário.