Busca avançada
Ano de início
Entree

Coorte prospectiva dos biomarcadores ômicos do músculo reto abdominal de gestantes com hiperglicemia e incontinência urinária específica da gestação como preditivos da incontinência urinária 6-12 meses pós-parto

Processo: 19/05710-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Saúde Materno-infantil
Pesquisador responsável:Marilza Vieira Cunha Rudge
Beneficiário:Fernanda Cristina Bérgamo Alves
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FMB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/01743-5 - Coorte da tríade gestacional: hiperglicemia, incontinência urinária e perfil clínico, molecular e ômico da miopatia hiperglicêmica na predição de incontinência e disfunção muscular e pesquisa translacional com biodevice para regeneração muscular em ratas, AP.TEM
Assunto(s):Gravidez   Diabetes gestacional   Distúrbios do assoalho pélvico   Incontinência urinária   Doenças musculares   Hiperglicemia

Resumo

Introdução: O grupo de pesquisa "Diabetes e Gravidez - Clínico e Experimental" da Faculdade de Medicina de Botucatu-Unesp, investiga desde 2006, a fisiopatologia de diabete gestacional (DMG) e da hiperglicemia gestacional leve (HGL) e suas relações com as disfunções musculares do assoalho pélvico (DMAP) e incontinência urinária (IU) em estudos clínicos e experimentais. Após análise crítica no grupo e com parceiros nacionais e internacionais dos resultados obtidos, verificaram-se grandes lacunas que precisam ser preenchidas com estudos pré-clínicos e clínicos mais complexos. Objetivos: Analisar a influência da associação entre hiperglicemia gestacional (HGG) considerando DMG e HGL, "IU específica da gestaçao" ("IUEG") e perfil (morfológico, funcional, bioquímico, molecular e ômico) da "miopatia hiperglicêmica gestacional" ("MHG") do músculo reto abdominal (MRA) e músculos do assoalho pélvico (MAPs); analisar a tríade HGG, "IUEG" e perfil da "MHG", a incidência de IU 6-12 meses pós-parto (PP) e perfil morfológico, funcional e bioquímico, dentro das quatro coortes constituídas pela combinação entre HGG e "IUEG"; avaliar o efeito do biodevice de látex de seringueira com células-tronco mesenquimais na regeneração do músculo uretral e do MRA após cesárea em ratas prenhes com diabete moderado no perfil morfológico, microvascular, molecular e ômico; e determinar a evidência científica, por meio da revisão sistemática, da efetividade dos exercícios sobre a DMAP e "IUEG" em gestantes com HG. Materiais e Métodos: No estudo clínico, as participantes serão selecionadas entre janeiro 2016 e dezembro de 2019 no Centro de Investigação do Diabete Perinatal da FMB UNESP, no Ambulatório de Gestação de Risco do Hospital Materno Infantil da FAMEMA e no Hospital Regional de Assis. O total de participantes será de 160 considerando as quatro coortes que serão constituídas. Será realizada análise do perfil bioquímico, obtido pelas análises sanguíneas dos níveis de CCL7, Relaxina, Ca, PTH, calcitonina, vitamina D, glicose e insulina; nos MAPs, serão realizados a Avaliação Funcional do Assoalho pélvico (AFA), Eletromiografia (EMG) e Ultrassonografia (US), nos MRA serão realizados EMG e US, no momento da cesárea a contratilidade ex vivo obtida pelo Miógrafo, e os perfis morfológico (ultraestrutura das fibras musculares e da matriz extracelular), molecular (Expressão Gênica e Proteica das fibras musculares e da matriz extracelular), e Ômico (transcriptômica, proteômica e metabolômica). Para o estudo experimental, serão utilizadas ratas Wistar prenhes, divididas em grupos (n=20 cada) não diabéticas e diabéticas, que serão submetidas à instalação do biodevice de biomembrana de látex revestida de células-tronco mesenquimais, implantados na musculatura estriada uretral e MRA. O estudo de Revisão Sistemática seguirá as normas e será registado na Colaboração Cochrane. Na análise estatística com o software SPSS v21.0, as relações serão consideradas estatisticamente significativas de p < 0,05. Resultados esperados: Caracterizar a "MHG"; que a tríade proposta seja preditora de IU e DMAP 6-12 meses PP; definir marcadores para diagnóstico e em futuras terapias; evidenciar a primeira linha de intervenção preventiva ou reabilitadora para as disfunções musculares e "IUEG"; que a "IUEG" na HGG seja considerada e incluída como um problema de saúde pública e como intercorrência clínica, passando a representar uma nova ferramenta na definição do impacto materno de longo prazo; que o biodevice seja considerado para regeneração da musculatura em futuros estudos clínicos; e que esta abordagem translacional proposta trará esta pesquisa para a fronteira do conhecimento na área de Saúde da Mulher, uma vez que estão sendo aplicadas metodologias de análise inéditas na área que se complementam na abordagem de problemática de interesse médico/social.