Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da expressão em células linfóides humanas in vitro da proteína RPMS1 do vírus Epstein-Barr

Processo: 19/05061-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 08 de julho de 2019
Vigência (Término): 07 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Deilson Elgui de Oliveira
Beneficiário:Beatrice Adrianne Silva Jorge
Supervisor no Exterior: Ethel Cesarman
Instituição-sede: Instituto de Biotecnologia (IBTEC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Local de pesquisa : Weill Cornell Medical College, Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:18/12164-1 - Efeitos da expressão da proteína RPMS1 do vírus de Epstein-Barr em células humanas cultivadas in vitro, BP.MS
Assunto(s):Cultura de células   Oncologia

Resumo

O vírus Epstein-Barr (EBV) - formalmente conhecido como gammaherpesvirus humano 4 (HHV-4) - é um herpesvírus associado ao desenvolvimento de uma variedade de malignidades humanas, notavelmente o linfoma de Burkitt (BL) e o carcinoma de nasofaringe (NPC), mas também subconjuntos de casos de linfoma de Hodgkin e não-Hodgkin (particularmente em pacientes imunocomprometidos) e carcinomas gástricos. Dados da Organização Mundial da Saúde indicam que a maior incidência de BL ocorre em regiões da África Central e Nova Guiné, chegando a 6.700 novos casos anualmente e a maioria dos casos de BL no continente africano estão associados ao EBV. Outros tipos de linfomas, como Hodgkin representam uma associação entre 30% -50% dos casos, por sua vez, o de células b grande difuso é atribuído um total de 10%. O potencial oncogênico do EBV está associado a produtos virais que interferem em processos biológicos críticos, como estabilidade genética, regulação da apoptose e capacidade de imortalização. Até o momento, o principal produto oncogênico do EBV é a proteína de membrana latente 1 (LMP1), que causa ativação constitutiva do NF-kB, entre outras atividades. No entanto, apenas recentemente foram investigados outros produtos virais, como a proteína RPMS1, que é gerada por processamento alternativo (splicing) do segmento transcrito BamHI A direito (BART) do genoma viral. Estudos mostram que a RPMS1 implicada na modulação da via Notch e possivelmente contribui para a transformação de células epiteliais induzida pelo EBV. Digno de nota, um polimorfismo de nucleotídeo único (SNP) A/G na posição 155391 na ORF de RPMS1 foi associado com risco aumentado de NPC. O papel da RPMS1 na patogênese dos distúrbios linfoproliferativos associados ao EBV é amplamente desconhecido. Assim, o presente estudo tem por objetivo investigar os efeitos do knockdown, em linhagens celulares linfoides EBV-positiva, da RPMS1 na apoptose, viabilidade celular e na expressão de proteínas. Para esse propósito, os níveis de expressão de RNAm de RPMS1 serão avaliados em linhagens linfoides EBV-positivas por PCR quantitativa em tempo real (RT-qPCR), as linhagens celulares que expressarem a maior quantidade de RNAm de RPMS1 serão selecionadas para ensaios adicionais. O knockdown de RPMS1 será conduzido por RNA de interferência pequeno (siRNA) e serão efetuados ensaios in vitro para avaliar viabilidade celular e apoptose. Por fim, a expressão das principais proteínas da via NF-kB será analisada por Western Blot. Com resultado deste estudo, esperamos identificar potenciais papeis da RPMS1 nas propriedades oncogênicas das linhagens de células linfoides EBV-positivas.