Busca avançada
Ano de início
Entree

Tempo e modo de diversificação em Adontosternarchus (Gymnotiformes, Apteronotidae): explorando a origem da diversidade de espécies nos canais de rios neotropicais

Processo: 18/10654-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2019
Vigência (Término): 31 de julho de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Zoologia - Taxonomia dos Grupos Recentes
Pesquisador responsável:Naércio Aquino Menezes
Beneficiário:Marina Vianna Loeb
Instituição-sede: Museu de Zoologia (MZ). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/19075-9 - Diversidade e evolução de Gymnotiformes (Teleostei, Ostariophysi), AP.TEM
Assunto(s):Filogeografia   Sistemática

Resumo

A região neotropical abriga as maiores diversidades taxonômicas de diversos grupos da fauna aquática e terrestre do planeta, e a estimativa mais atual do número de espécies de peixes é de mais de 8.000 táxons. Baseado nesta enorme diversidade de espécies, são naturais reflexões sobre o modo e o tempo de diversificação destes táxons. Entretanto, decifrar mais detalhadamente a história biogeográfica, assim como o tempo e modo de evolução da ictiofauna neotropical constituem um grande desafio aos pesquisadores da área. Dentre os fatores limitantes ao estudo destes temas estão: 1. Falta de grupos com status taxonômico e filogenético bem resolvidos; 2. Informações imprecisas sobre o modo de vida, ecologia e distribuição geográfica; 3. Ausência, ou existência de dados incompletos sobre de registros fósseis; e 4. conhecimento insuficiente sobre o histórico geológico de formação das bacias hidrográficas na região neotropical. Adontosternarchus, um gênero de Gymnotiformes, apresenta dados inequívocos em literatura sobre seu monofiletismo, posição filogenética em Apteronotidae, e limites taxonômicos interespecíficos. Ainda, estão disponíveis informações sobre a ecologia e distribuição geográfica das espécies do gênero. Nesse cenário, Adontosternarchus apresenta-se como um grupo ideal para o estudo do tempo e modo de diversificação de espécies da ictiofauna neotropical. Atualmente são reconhecidas seis espécies para o gênero com distribuição preferencial na calha de rios de grande porte nas terras baixas das bacias do Amazonas e do Orinoco. A presente proposta tem como objetivo o estudo do tempo e modo de diversificação em Adontosternarchus. Hipóteses de relacionamentos serão geradas para populações alvo, e todas as espécies, por meio de sequenciamentos de Sanger e Próxima Geração. Estas hipóteses servirão como base para a determinação de: 1. Fluxo gênico entre espécies e populações; 2. Disparidade fenotípica (mensuradas através de marcadores anatômicos); 3. Limites taxonômicos das espécies; 4. Padrões biogeográficos; e 5. Taxa de diversificação. Desta forma, baseado nos cenários de diversificação encontrados para o gênero espera-se responder várias perguntas associadas à evolução de organismos aquáticos em uma escala continental. Esta proposta de pesquisa está vinculada ao projeto temático "Diversidade e Evolução de Gymnotiformes" (Cooperação internacional FAPESP/Smithsonian Institution; Processo n. 2016/19075-9, válido até Junho de 2022).