Busca avançada
Ano de início
Entree

Identificação dos fatores de virulência da Leptospira interrogans através de análises proteômicas comparativas

Processo: 18/06201-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Ana Lucia Tabet Oller Do Nascimento
Beneficiário:Edson Galdino Do Nascimento Filho
Instituição-sede: Instituto Butantan. Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/50981-0 - Busca de proteínas de superfície nas sequências do genoma da Leptospira interrogans: caracterização funcional e imunológica para o entendimento de mecanismos envolvidos na patogênese de bactéria, AP.TEM
Assunto(s):Proteômica   Fatores de virulência   Leptospira interrogans   Interações hospedeiro-patógeno   Espectrometria de massas

Resumo

A Leptospirose é causada por um grupo de bactérias patogênicas pertencentes ao gênero Leptospira. A doença ocorre principalmente em países tropicais e subtropicais devido à dificuldade de implantação de saneamento básico adequado, favorecendo a transmissão via solo ou água contaminados com urina de mamíferos infectados. Nas áreas urbanas, os roedores domésticos como Rattus norvegicus são os principais reservatórios da Leptospirose. Os sintomas associados à doença podem incluir febre, calafrios, dores de cabeça e mialgia, podendo evoluir para formas mais severas, por exemplo, Síndrome de Weil e a Síndrome Hemorrágica Pulmonar Severa (SPHS - Severe Pulmonary Hemorrhagic Syndrome) que são responsáveis por cerca de 10% a 50% dos casos de mortalidade por Leptospirose em adultos. Ainda não existe um eficiente método diagnóstico precoce, por isso o desenvolvimento de uma vacina é extremamente importante. Sabe-se muito pouco sobre quais proteínas são expressas nas leptospiras saprofíticas. Deste modo, uma análise global das proteínas expressas na espécie não patogênica e saprofítica (L. biflexa) facilitaria a identificação dos possíveis fatores de virulência envolvidos na patogenicidade da Leptospirose pela comparação com as proteínas expressas na espécie virulenta (L. interrogans). Dentro dos mesmos objetivos, o projeto pretende avaliar as proteínas secretadas pela cepa patogênica e virulenta, L. interrogans, que são potenciais determinantes de virulência dessas bactérias em interações patógeno-hospedeiro. Com estas analises de espectrometria de massa, pretende-se reconhecer candidatos potencialmente importantes no processo de virulência/patogênese das leptospiras, na composição de vacinas contra a Leptospirose e no desenvolvimento de métodos diagnósticos mais eficientes. (AU)