Busca avançada
Ano de início
Entree

Reparo perimplantar em ratos diabéticos tipo 2, tratados pela combinação da terapia fotodinâmica antimicrobiana e compostos polifenóis: caracterização biomecânica, histométrica, microtomográfica e molecular

Processo: 19/01634-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia - Cirurgia Buco-maxilo-facial
Pesquisador responsável:Roberta Okamoto
Beneficiário:Letícia Pitol Palin
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOA). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araçatuba. Araçatuba , SP, Brasil
Assunto(s):Cirurgia bucomaxilofacial   Implantes dentários   Implantes osseointegrados   Polifenóis   Terapia fotodinâmica   Dieta hiperlipídica   Diabetes mellitus

Resumo

O diabetes tipo 2 é uma doença metabólica causada pelo acúmulo de glicose sanguínea devido à incapacidade da insulina exercer os seus efeitos no organismo. Com o avanço da odontologia, e com o uso cada vez maior de implantes osseointegraveis, faz se necessária a cada dia a busca por terapias alternativas que melhorem os seus efeitos deletérios, preferencialmente de forma não invasiva. Assim, O objetivo deste projeto consiste na busca de alternativas que auxiliem em um tratamento não invasivo, como por exemplo a ação do resveratrol, a terapia fotodinâmica antimicrobiana (aPDT) ou a associação de ambos em ratos não diabéticos e ratos diabéticos tipo 2 através das análises biomecânica, molecular, microtomográfica e por histometria dinâmica 60 dias após a instalação dos implantes. Para isso serão utilizados 128 ratos divididos em quatro grandes grupos: 1- Controle (CO): onde os animais serão normoglicêmicos; 2- Controle + resveratrol (COR): onde os animais serão normoglicêmicos e tratados com resveratrol oral; 3- Diabéticos tipo 2 (DM2): onde os animais serão diabéticos tipo 2; e 4- Diabéticos tipo 2 + resveratrol (DM2R): onde os animais serão diabéticos tipo 2 e tratados com resveratrol oral. Dentro de cada grupo haverá quatro subgrupos: ST- Sem terapia, onde os animais não terão nenhum tipo de terapia adicional; AM- Azul de metileno, onde os animais apenas receberão aplicação tópica de azul de metileno (100 ¼g/mL) na loja cirúrgica antes da instalação dos implantes em maxila; FBM- fotobiomodulação, onde a loja cirúrgica receberá irradiação com laser em baixa intensidade; aPDT- Terapia fotodinâmica antimicrobiana (aPDT), onde os animais receberão a aplicação tópica de azul de metileno (100 ¼g/mL) na loja cirúrgica antes da instalação dos implantes e após 60 segundos, irradiação com laser em baixa intensidade. Os animais dos grupos com DM2 terão o diabetes induzido por uma dieta hiperlipídica durante três semanas associada à uma única aplicação de Estreptozotocina (35mg.kg) dissolvida em tampão citrato. Após a comprovação do diabetes tipo 2, todos os animais serão submetidos à cirurgia de exodontia dos primeiros molares superiores direito e esquerdo, e após 30 dias serão instalados implantes osseointegraveis. Neste momento serão realizadas as terapias de acordo com os grupos. Para a FBM e a aPDT será utilizado o laser de indio-galio-aluminio-fósforo (InGaAlP, 660 nm) com 40 mW, tempo de exposição de 60 segundos, energia de 2,4 J. Os animais serão submetidos à punção cardíaca para realização do teste ELISA (kits IL-6, TNF± e TGF²) aos 7 dias pós cirurgia e eutanasiados aos 60 dias após a instalação dos implantes na maxila, respectivamente. Com as maxilas removidas após 60 dias, serão realizadas análise de contra-torque, molecular de RT-PCR (OC, OPN, OPG, RANK-L e Wnt), de microtomografia computadorizada (parâmetros de volume, porosidade, e para caracterizar o trabeculado ósseo), análise de microscopia confocal (análise da dinâmica óssea peri-implantar, superfície de mineralização ativa e taxa de aposição óssea diária) e histométrica. Os dados quantitativos serão submetidos ao teste de normalidade e este indicará um teste estatístico mais adequado (paramétrico vs não paramétrico). Será adotado para todos os testes nível de significância de 5%. (AU)