Busca avançada
Ano de início
Entree

Cultivo de Spirulina máxima aplicando fontes alternativas de nutrientes para a produção de biocompostos: pigmentos, carboidratos e biocarvão

Processo: 19/06352-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia Química - Tecnologia Química
Pesquisador responsável:Daniela Helena Pelegrine Guimarães
Beneficiário:Lucas Ioran Marciano
Instituição-sede: Escola de Engenharia de Lorena (EEL). Universidade de São Paulo (USP). Lorena , SP, Brasil
Assunto(s):Biocombustíveis

Resumo

Dentre as novas alternativas de fontes de energia destacam-se as microalgas e cianobactérias, seres microscópicos que crescem rapidamente em meio aquático e tem como característica a habilidade de acumular biocompostos que pode ser convertido em biocombustíveis e produzir biocompostos de valor agregado. Em específico, a cianobactéria Spirulina maxima tem por característica sintetizar pigmentos tais como clorofila, ficocianina e carotenoides, além de acumular quantidades significativas de carboidratos e proteínas. No entanto, a etapa de cultivo, ainda, se mantém onerosa por conta de o meio de cultivo necessitar grande quantidade de nutrientes, tendo um alto custo de produção em escala industrial. Uma alternativa atualmente considerada para reduzir o custo global de produção de biomassa é a adoção de fontes alternativas de nitrogênio, fósforo ou carbono (macronutrientes essenciais ao crescimento celular), seja por reagentes de menor custo, seja pela utilização de efluentes que contenham compostos nitrogenados, fosfatados ou ricos em material orgânico. Neste contexto, o presente projeto tem como objetivo estudar o cultivo de S. maxima com diferentes fontes de nitrogênio e carbono, e analisar o efeito na produção dos biocompostos de interesse com sua inclusão no conceito biorefinarias. Para tanto, serão realizados cultivos da cianobactéria S. maxima em meio Zarrouk modificado utilizando ureia, acetato e glicerol, os quais serão analisados em termos de produtividade em massa seca, carboidratos, ficocianina e biocarvão. Espera-se obter uma condição de cultivo otimizada para a produção sustentável dos bioprodutos. Este projeto insere-se no contexto da obtenção sustentável de bioprodutos de interesse industrial do grupo de pesquisa do Laboratório de Engenharia de Microalgas (LEM) da EEL-USP, integrando dois projetos financiados pela FAPESP (16/23416-6 e 16/18909-3).