Busca avançada
Ano de início
Entree

Papel de Dicer na diferenciação de adipócitos beges e a influência de macrófagos no processo

Processo: 19/07575-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 30 de abril de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Marcelo Alves da Silva Mori
Beneficiário:Rhaissa Godoi
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/01184-9 - CAMeLEOm: análise entre espécies dos efeitos metabólicos, na expectativa de vida e ômicas de miméticos de restrição dietética, AP.TEM
Assunto(s):Obesidade   MicroRNAs   Macrófagos   Adipócitos bege   Dicer

Resumo

A obesidade acomete uma grande parcela da população mundial, estando associada a várias complicações de saúde, como doenças cardiovasculares e diabetes. O tecido adiposo pode tanto estocar energia, em adipócitos brancos, quanto dissipá-la na forma de calor, em adipócitos marrons ou beges. O processo termogênico pode ser estimulado pelo frio no mecanismo de browning, mediado pela proteína desacopladora UCP1. Um conjunto de células imunes também reside no tecido adiposo e participa no controle de adipócitos por meio de moléculas como citocinas e miRNAs (pequenas moléculas de RNA não-codificador, processadas pela enzima DICER, com importante função no controle pós transcricional). A expressão de miRNAs no tecido adiposo é menor na obesidade, sendo esse fato associado à diminuição da expressão de DICER e a um quadro de inflamação mediado por macrófagos. Em dados prévios do laboratório, foi demonstrado que a deleção de DICER em adipócitos torna o tecido adiposo mais inflamado e com menor capacidade termogênica, sendo que a exposição ao frio consegue atenuar tais diferenças. Esses dados são corroborados por experimentos de co-cultura de adipócitos e macrófagos, nos quais houve inibição de UCP1 por macrófagos após estímulos termogênicos, o que não acontece em adipócitos nocautes para DICER, e sugere dependência da expressão de DICER em adipócitos para que a inibição de UCP1 por macrófagos ocorra. Assim, foi possível levantar a hipótese da comunicação entre macrófagos e adipócitos durante o processo de browning e inibição deste por meio de miRNAs expressos por adipócitos. Dessa forma, o projeto busca investigar a maneira como DICER participa no mecanismo de browning e medeia a influência dos macrófagos no processo, a fim de elucidar no-vos mecanismos de prevenção e tratamento da obesidade.