Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito do uso de uma ferramenta de tecnologia de reabilitação para o autocuidado, prevenção e tratamento dos pés de pessoas com diabetes mellitus: ensaio clínico randomizado controlado

Processo: 19/02624-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Isabel de Camargo Neves Sacco
Beneficiário:Danilo Pereira dos Santos
Instituição-sede: Faculdade de Medicina (FM). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Diabetes mellitus   Polineuropatias   Pé diabético   Fisioterapia   Reabilitação (terapêutica médica)

Resumo

A polineuropatia diabética periférica (PND) é uma das principais complicações do diabetes, o que provoca alterações de sensibilidade (térmica, tátil, vibratória e proprioceptiva) e alterações motoras associadas às deformidades nos pés. Tais complicações, quando agravadas, podem favorecer o aparecimento de feridas que quando não tradadas geralmente evoluem para úlceras e findam com a amputação do membro. As alterações decorrentes da PND podem ser atenuadas por meio de programas de exercícios específicos para os pés, desta forma gera melhoria para a função muscular e funcionalidade. As diversas alterações musculoesqueléticas dos pés e tornozelos em pessoas com PND requer o autocuidado, assim, exercícios para os pés, nos quais a pessoa possa auto gerenciar sua prática, podem ser eficazes para prevenção de complicações nos pés. Este Ensaio clínico controlado randomizado visa avaliar o uso de uma tecnologia de reabilitação no formato de cartilha e os efeitos nas respostas clínicas da PND (sensibilidade tátil e vibratória, equilíbrio funcional e funcionalidade dos pés). A amostra será composta por 38 pacientes com PND de até 75 anos que serão divididos aleatoriamente nos grupos controle (GC) ou intervenção (GI). Os sujeitos serão avaliados em 2 momentos, antes do início da intervenção e após 8 semanas. A avaliação inclui saúde e funcionalidade dos pés, sensibilidade tátil e vibratória dos pés e equilíbrio funcional. São hipóteses deste estudo que grupo intervenção apresentará uma melhora da saúde e funcionalidade dos pés e dos sintomas neuropáticos, melhora na sensibilidade tátil e vibratória e melhora do equilíbrio funcional, quando comparados ao grupo controle após 8 semanas de intervenção.