Busca avançada
Ano de início
Entree

Habitação autogerida - Brasil (São Paulo) e Holanda (Amsterdã e Almere): uma análise comparativa dos estudos de caso

Processo: 19/09928-2
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 30 de novembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Sociais Aplicadas - Planejamento Urbano e Regional - Serviços Urbanos e Regionais
Pesquisador responsável:Maria Camila Loffredo D'Ottaviano
Beneficiário:Juliana Do Amaral Costa Lima
Supervisor no Exterior: Stan Majoor
Instituição-sede: Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Amsterdam University of Applied Sciences (AUAS), Holanda  
Vinculado à bolsa:17/20429-2 - Configuração das áreas de moradia no município de São Paulo: estudos de caso: edifícios Dandara/Ipiranga e Maria Domitila, BP.IC
Assunto(s):São Paulo   Autogestão

Resumo

Esta proposta de Estágio de Pesquisa em Amsterdam faz parte do projeto FAPESP " Configuração das áreas de moradia no município de São Paulo. Estudos de caso: Edifícios Dnadara/ipiranga e Maria Domitila.", Vinculado ao projeto FAPESP " Between self-regulation and formal government: the challenges of self-build housing and facilities (BESEFOGO)".Seu objetivo é fornecer um breve estudo sobre as características da autogestão de dois estudos de caso nas cidades de Amsterdã e Almere, na Holanda, para compreender como o processo de autogestão da habitação local se desenvolve. A partir disso, pode-se fazer um estudo comparativo com a habitação autogerida na cidade de São Paulo; o principal objetivo do projeto BESEFOGO.A pesquisa busca compreender as diferentes formas de habitação em ambas as cidades europeias e os resultados ao longo deste projeto, através de pesquisa de campo incluindo entrevistas e visitas, sempre as considerando como exemplos de um país desenvolvido. É imprescindível ter um estudo próximo ao assunto para que a análise comparativa desejada seja possível, visto que São Paulo, em cujo principal acesso à moradia, aliado à autoconstrução, é por meio da autogestão, possui atributos físicos, sociais, históricos e econômicos em um contexto muito distinto das cidades holandesas.