Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da gonadectomia sobre a ação impulsiva em ratos machos

Processo: 19/04521-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Fábio Leyser Gonçalves
Beneficiário:Henrique Souza Reis
Instituição-sede: Faculdade de Ciências (FC). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Bauru. Bauru , SP, Brasil
Assunto(s):Castração animal   Comportamento impulsivo   Esquemas de reforço   Análise de variância

Resumo

A impulsividade, entendida pela perspectiva analítica comportamental como comportamento impulsivo, tem recebido destaque no campo da psicologia devido a sua associação a diversos transtornos psiquiátricos. Este tipo de comportamento tem sido entendido no campo da AEC em duas formas distintas; a ação impulsiva e a escolha impulsiva. Para além de sua diferenciação conceitual, têm sido evidenciados os papéis que diferentes variáveis endógenas exercem na modulação destes tipos de comportamento, corroborando com sua distinção. Dentre tais variáveis uma que se destaca é a influência que os hormônios sexuais exercem sobre estas duas formas de comportamento. Diversos estudos apontam a associação direta entre a ação impulsiva e as taxas de testosterona circulantes no organismo, justificando a proposição do seguinte estudo. Será analisada a influência que o procedimento de gonadectomia em 8 ratos machos de linhagem Wistar, exerce sobre a ação impulsiva na comparação com 8 ratos normais, utilizando como procedimento o esquema de reforço diferencial de taxas baixas (DRL)- 72s. Inicialmente, os sujeitos serão submetidos ao esquema de DRL 18s e após duas semana a exigência do esquema será elevada para 72s até que se atinja o critério de estabilidade estabelecido. As taxas de respostas, razão entre o número de reforçadores produzidos e as respostas emitidas (densidade de reforço) e a distribuição de frequência dos intervalos entre respostas (IRT) entre os grupos será analisada por meio da análise de variância ou testes não-paramétricos equivalentes.