Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise DA adição dè nanopartículas dè Al2O3 E CuO ná variação dè temperatura dè prensagem E nas propriedades físico-mecânicas dè painéis MDP

Processo: 19/02926-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Engenharias - Engenharia de Materiais e Metalúrgica - Materiais Não-metálicos
Pesquisador responsável:Cristiane Inácio de Campos
Beneficiário:Luana Cristal Lirya Silva
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia (FEG). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Guaratinguetá. Guaratinguetá , SP, Brasil
Assunto(s):Óxido de alumínio   Caracterização   Eucalipto   Óxido de cobre   Materiais nanoestruturados

Resumo

O segmento de painéis à base de madeira vem crescendo e conquistando espaço desde a sua implantação no Brasil. Porém, apesar dessa indústria apresentar constante expansão, inovações são necessárias, buscando sempre pelo melhor desempenho do produto final, tendo em vista um mercado cada vez mais competitivo. Atualmente, verifica-se que uma alternativa para melhorar as propriedades dos materiais nos mais diversos segmentos é o uso da nanotecnologia. Dessa forma é possível implementar melhorias no produto através do uso de nanopartículas, visando aperfeiçoar determinadas características dos painéis à base de madeira, proporcionando melhor desempenho das propriedades físico- mecânicas do mesmo. Assim, este trabalho tem como objetivo avaliar a influência da adição de nanopartículas de óxido de alumínio (Al2O3) e óxido de cobre (CuO) em painéis particulados de madeira de média densidade (MDP) produzidos com resina ureia-formaldeído para verificar a interferência do material adicionado em duas diferentes temperaturas, sendo essas 150° e 180°C, analisando também as propriedades físico-mecânicas do painel, com o intuito de avaliar melhora na variação de temperatura de prensagem e, consequentemente, melhor desempenho do painel. Os resultados obtidos serão comparados com a norma brasileira NBR 14810-2:2013 e com a norma europeia EN 312:2003, bem como com trabalhos encontrados na literatura.