Busca avançada
Ano de início
Entree

Decorrências da duplicação de genes de proteínas ribossômicas em Leishmania

Processo: 19/05257-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:Angela Kaysel Cruz
Beneficiário:Francisca dos Santos Borges
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Duplicação gênica   Proteínas ribossômicas   Fases de leitura aberta   Regiões não traduzidas   Leishmania

Resumo

No parasito Leishmania, a maioria dos genes que codificam proteínas ribossômicas (RPs) estão presentes como duas ou mais cópias e seus transcritos apresentam regiões codificadoras (CDSs) idênticas ou similares e, na maioria dos casos, com regiões não traduzidas (UTRs) divergentes. A divergência nas UTRs pode estar associada ao controle da expressão diferencial e a divergência nas CDSs, a perda, ganho de função. Nesse contexto, nós formulamos o presente projeto de pesquisa: investigar os genes de duas RPs, S16 e L19. As duas cópias de S16, têm transcritos com UTRs divergentes, e as cópias de L19, apresentam, além de UTRs divergentes, CDSs não idênticas em Leishmania major. Sabemos que de um dos transcritos da S16 emerge um ncRNA regulatório putativo (CASTRO et al., 2017). Para a L19, também estudada anteriormente no laboratório, foram demonstradas alterações fenotípicas decorrentes da alteração dos seus níveis de expressão (ALMEIDA-BIZZO, 2014). Cada cópia dessas proteínas será etiquetada com marcadores que permitam sua identificação por imuno-detecção ou fluorescência e transfectantes de L. major nocaute para cada um dos quatro genes serão gerados, utilizando o sistema CRISPR/Cas9. Para ambos os genes de S16, a inserção de etiquetas já foi obtida com êxito. As estratégias subsequentes consistirão na análise da modulação da expressão das RPs S16 e L19, avaliação do nível do transcrito e localização subcelular das proteínas. Completaremos o estudo analisando alterações fenotípicas como resposta a estresse nutricional e crescimento em cultura a partir do nocaute de uma e outra cópia dos genes da S16 e L19 comparativamente à linhagem selvagem. (AU)