Busca avançada
Ano de início
Entree
Conteúdo relacionado

Estudo da simulação in vitro da digestão gastrointestinal de emulsões e partículas de óleo da semente de Roma pelo método INFOGEST

Processo: 19/10062-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Engenharia de Alimentos
Pesquisador responsável:Miriam Dupas Hubinger
Beneficiário:Talita Aline Comunian
Supervisor no Exterior: Andre Brodkorb
Instituição-sede: Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Local de pesquisa : Moorepark Food Research Centre, Irlanda  
Vinculado à bolsa:18/01710-5 - Influência da composição da emulsão óleo-em água nas propriedades da estrutura e na funcionalidade de partículas obtidas por spray drying, BP.PD
Assunto(s):Encapsulação

Resumo

O óleo extraído da semente de romã, um subproduto da indústria de suco, contém vários compostos bioativos, como fosfolipídios, tocoferóis, triterpenóides e ácido punícico. No entanto, o óleo é suscetível à oxidação quando em contato com a luz, oxigênio, umidade e aquecimento, dificultando seu manuseio e aplicação em produtos alimentícios. A encapsulação do extrato bioativo pode ser uma alternativa para minimizar problemas relacionados a sua instabilidade. Além disso, compreender o comportamento digestivo dos compostos encapsulados é essencial para entender e controlar a liberação do óleo do sistema de encapsulamento e estimar sua biodisponibilidade durante o trânsito gastro-intestinal. Portanto, o objetivo deste projeto é o estudo da digestibilidade in vitro do óleo de semente de romã encapsulado em emulsões óleo-em-água em seis matrizes: Microgéis de proteína isolada do soro de leite (WPI), WPI em sua forma natural e WPI em combinação com amido modificado (Capsul®) e também estas formulações secas por spray drying. Será utilizado o método INFOGEST de digestão in vitro estático, que simula a digestão gastro-intestinal de sistemas alimentares considerando vários fatores como concentrações e tipos de enzimas e sais, pH e tempo de digestão. Para isso, será realizada análise lipídica considerando a extração lipídica total, derivatização de lipídios, análise de éster metílico de ácidos graxos, microscopia de última geração e tamanho de partícula das amostras digeridas nas fases oral, gástrica e intestinal. O estudo proposto produzirá veículos de encapsulação altamente inovadores para promoção da saúde e compostos bioativos que trarão benefícios aos consumidores e à sociedade.