Busca avançada
Ano de início
Entree

Abordagem genética e morfológica da área corbicular de Tetragonisca angustula (Hymenoptera: Apidae)

Processo: 19/05229-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Quantitativa
Pesquisador responsável:Henrique Nunes de Oliveira
Beneficiário:Rubia Ferreira dos Santos Morini
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias (FCAV). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Jaboticabal. Jaboticabal , SP, Brasil
Assunto(s):Morfometria   Corbicula   Pólen   Socialidade

Resumo

A Tetragonisca angustula é uma abelha corbiculada, altamente social, sem ferrão e amplamente distribuída no Brasil. Estas abelhas representam um papel importante no ecossistema pela sua função polinizadora e também economicamente através da produção de mel. As abelhas T. angustula estão agrupadas na tribo Meliponini e pertencem à família Apidae que está dividida na subfamília Xylocopinae e em abelhas corbiculadas. A corbicula está localizada no terceiro par de pernas e é a estrutura na qual a própolis e o pólen são armazenados e posteriormente levados até à colmeia. A própolis será usada para a defesa do ninho e o pólen para alimentação das larvas. Em pesquisas fenotípicas e estimativas de parâmetros genéticos estudando a corbícula de abelhas Apis melífera L., verificou-se uma significante relação fenotípica entre o tamanho da corbicula e a produção de mel. Baseado nesses trabalhos, nós propomos a hipótese de que a área corbicular de T. angustula apresenta uma maior proporção da variância genética aditiva em comparação com a variância fenotípica total que se observará. A compreensão e interpretação das estimativas de parâmetros genéticos para a área corbicular e morfometria desta abelha serão relevantes, adicionalmente com outros dados, para executar analises mais robustas sobre a biologia e fisiologia desta abelha.