Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da lectina ArtinM em células b e NK

Processo: 19/05867-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Imunologia - Imunoquímica
Pesquisador responsável:Maria Cristina Roque Antunes Barreira
Beneficiário:Bruno Rafael Barboza
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Células matadoras naturais   Imunomodulação   Lectinas

Resumo

A lectina ArtinM, obtida a partir do extrato salino de sementes de Artocarpus heterophyllus, reconhece Man± 1-3 (Man± 1-6) Man presente em N-glicanas. Esse mecanismo é utilizado por ArtinM para induzir a ativação de neutrófilos e macrófagos, por meio do reconhecimento de TLR2/CD14, e a ativação de células T, via interação com CD3. A atividade imunomoduladora de ArtinM sobre essas células demonstra um efeito protetor contra a infecção por patógenos intracelulares. Relatamos o efeito de ArtinM na ativação de células B de maneira independente de TLR2/CD14. A atual proposta ampliará o conhecimento do efeito de ArtinM sobre células B na atividade imunomoduladora desencadeada pela lectina. A proposta incluirá a avaliação do efeito de ArtinM sobre células NK, que atua na resposta imunitária contra infecções fúngicas, e a administração in vivo de ArtinM foi capaz de induzir proteção frente a paracoccidioidomicose e candidíase. Dessa forma, propomos investigar in vitro os efeitos diretos de ArtinM em células B e NK através da mensuração da produção de citocinas e quimiocinas, expressão de moléculas de ativação de superfície celular, expressão relativa de marcadores de diferenciação celular e secreção de grânulos citotóxicos. Além disso, avaliar os glicoalvos de ArtinM em células B e NK através dos ensaios de imunoblot e competição funcional. O efeito in vivo de ArtinM sobre células B e NK será avaliado a partir de células esplênicas de camundongos naive que receberam ArtinM. Nossa proposta demonstrará a atuação de células B e NK na atividade imunomoduladora de ArtinM.