Busca avançada
Ano de início
Entree

Peptidômica quantitativa dos venenos de machos e fêmeas da serpente brasileira Bothrops atrox

Processo: 19/03502-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Alexandre Keiji Tashima
Beneficiário:Adriana Simizo
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Espectrometria de massas   Peptidômica   Venenos

Resumo

A serpente Bothrops atrox é conhecida por ser a espécie que mais causa fatalidades humanas na América do Sul. Ela pode ser encontrada em países localizados ao norte do continente Sul Americano e a leste dos Andes. A maior parte dos componentes biologicamente ativos de seu letal veneno são proteínas e peptídeos, elaborados e refinados ao longo de milhões de anos de evolução. As toxinas de venenos têm servido como fonte de inspiração para a busca de potenciais fármacos e têm sido importantes na elucidação de importantes mecanismos bioquímicos e fisiológicos em vertebrados. No entanto, apesar do grande número de sequências descobertas e da maturidade alcançada pelos estudos proteômicos, a peptidômica de venenos ainda é um campo de estudos emergente. Técnicas analíticas baseadas em espectrometria de massas aplicada aos estudos peptidômicos resultaram na elucidação de diversos novos peptídeos biologicamente ativos de venenos. Observa-se também que pequenas mutações apresentam efeitos significativos sobre as atividades biológicas de peptídeos dentro de uma mesma classe. Em face da riqueza dos peptidomas ainda pouco explorados de venenos de espécies de serpentes brasileiras, propomos neste projeto de iniciação científica a análise peptidômica do veneno da espécie Bothrops atrox com os objetivos de desvendar as sequências dos peptídeos presentes em cada veneno, mapear diferenças entre machos e fêmeas e prospectar potenciais atividades biológicas de novos peptídeos.