Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise comparativa do infiltrado linfocítico em leucoplasia verrucosa proliferativa e líquen plano oral

Processo: 18/22236-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Pesquisador responsável:Andreia Bufalino
Beneficiário:Mariana Paravani Palaçon
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia (FOAr). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Araraquara. Araraquara , SP, Brasil
Assunto(s):Patologia bucal   Carcinoma de células escamosas   Leucoplasia   Imunidade adaptativa   Imuno-histoquímica

Resumo

O carcinoma espinocelular (CEC) representa mais de 95% de todas as neoplasias malignas que acometem a cavidade oral e muitas vezes estes tumores são precedidos por alterações clínicas que apresentam um evidente potencial de transformação maligna, as quais são chamadas de desordens potencialmente malignas orais (DPMOs). Dentre estas a leucoplasia verrucosa proliferativa (LVP) caracterizando-se por múltiplas placas brancas que apresentam um comportamento clínico persistente e progressivo para malignidade, com taxas de transformação maligna maiores que 70% e resposta inadequada a todas as modalidades de tratamento. Estudos recentes têm descrito que a LVP, particularmente nas fases iniciais da doença, pode revelar microscopicamente um infiltrado inflamatório com predomínio de linfócitos tipo T na lâmina própria com ausência de displasia, semelhante aos achados histopatológicos encontrados no líquen plano oral (LPO), comprometendo o diagnóstico precoce da LVP. Adicionalmente, dados preliminares obtidos por nosso grupo, sugerem que o infiltrado inflamatório associado às lesões lecoplásicas de paciente com LVP está relacionado a etiologia e/ou comportamento clínico agressivo desta DPMO. Assim, este estudo pretende realizar uma análise comparativa entre amostras de LPO e LVP que consistem em: (1) avaliar a densidade dos linfócitos T auxiliares, citotóxicos e células B intra-epitelial e no conjuntivo de amostras de LPO e na LVP; e (2) avaliar o estado de ativação dos subtipos de linfócitos T auxiliares e citotóxicos no LPO e na LVP.