Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito de agentes supressores de chamas e líquidos geradores de espuma sobre peixes

Processo: 18/25498-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia Aplicada
Pesquisador responsável:Denis Moledo de Souza Abessa
Beneficiário:Maysa Ueda de Carvalho
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IB-CLP). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus Experimental do Litoral Paulista. São Vicente , SP, Brasil
Assunto(s):Ecotoxicologia

Resumo

Líquidos geradores de espuma (LGE) são mundialmente utilizados no combate a incêndios. São compostos por misturas complexas, de surfactantes polifluorados (PFC) e seus derivados como o Ácido perfluorooctanessulfônico (PFOS), definido internacionalmente como um dos compostos Poluentes Orgânicos Persistentes (POP), na Convenção de Estocolmo. Durante o incêndio no Terminal Portuário da Alemoa, houve o descarte/lançamento no Sistema Estuarino de Santos de LGE misturado à gasolina e etanol. Como consequência ambiental direta, registrou-se a mortandade de mais de oito toneladas de peixes. Porém, os danos ambientais causados pelo incêndio ainda não foram devidamente estimados. A literatura reporta que os PFC e seus subprodutos de degradação são biocumuláveis em diversas matrizes ambientais e nos tecidos em uma gama de organismos, incluindo o homem, entretanto há poucos estudos sobre o comportamento e a toxicidade destes misturados na formulação do LGE. Esta pesquisa tem por objetivo estudar a toxicidade aguda e crônica de três diferentes tipos de LGE (Ageo Foam; Cold Fire; e F500 Fire), utilizados no combate ao incêndio, visando subsidiar o entendimento dos impactos destas substâncias a ictiofauna. Serão realizados ensaios de ecotoxicidade aguda (em adultos) de Poecilia reticulata, a fim de obter a concentração que causa letalidade em 50% dos indivíduos (EC50), menor diluição de efeito observado (CEO) e concentração de efeito não-observado (CENO). As brânquias obtidas dos organismos sobreviventes a tais concentrações serão analisadas a fim de determinar possíveis danos histopatológicos. Esta análise ecotoxicológica auxiliará na compreensão dos riscos causado pelo incêndio ocorrido, além de aumentar a base de dados sobre os efeitos dos POP sobre a ictiofauna.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.