Busca avançada
Ano de início
Entree

Serviços ecossistêmicos e vulnerabilidade as mudanças climáticas: relações biofísicas e sociais na Amazônia Central

Processo: 19/02452-2
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de maio de 2019
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:David Montenegro Lapola
Beneficiário:Moara Almeida Canova Teixeira
Instituição-sede: Instituto de Filosofia e Ciências Humanas (IFCH). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/02537-7 - AmazonFACE/ME: projeto de integração Modelagem-Experimento do Amazon-FACE - o papel da biodiversidade e feedbacks climáticos, AP.PFPMCG.JP
Assunto(s):Serviços ambientais   Mudança climática   Vulnerabilidade   Diversidade funcional   Estoque de carbono   População urbana   População rural   Amazônia

Resumo

As crescentes emissões de CO2 e as rápidas mudanças climáticas e ambientais representam ameaças às florestas tropicais. A hipótese do "forest dieback" da Amazônia brasileira prevê que, temperaturas maiores e as secas convertam as atuais florestas da bacia Amazônica em paisagens de savana, o que, possivelmente, impactaria a diversidade funcional, Serviços Ecossistêmicos (SE) e consequentemente aspectos da economia, bem-estar social e capital natural da região. Portanto, o objetivo desta proposta de projeto é avaliar como a provisão de SE (diversidade funcional vegetal, qualidade/estoque de água, estoque de carbono) afetados pelas mudanças climáticas pode reduzir a vulnerabilidade socioambiental e econômica de populações urbanas e rurais da Amazônia. A análise será confrontada em duas escalas: (i) regional, aplicando o modelo Carbon and Ecosystem Functional-Trait Evaluation model (CAETÊ), para modelar a diversidade funcional da vegetação e avaliar sua relação com o fornecimento atual e futuro de SEs e (ii) local, através de pesquisa baseadas em uma abordagem da percepção humana, nos municípios de Manaus, Itacoatiara e Silves-AM. Por fim, os resultados irão apontar indicadores quali-quantitativos relacionados a vulnerabilidade sócio ambiental local, a fim de traçar e adiantar estratégias que possibilitam a gestão sustentável de recursos naturais e ações de adaptação social, considerando os recursos públicos ou privados em agendas institucionais e políticas (Nacional ou Internacional). (AU)