Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da expressão proteica de PD-L1 em células tumorais circulantes (CTCs) de pacientes com câncer de reto

Processo: 19/04150-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Anatomia Patológica e Patologia Clínica
Pesquisador responsável:Ludmilla Thomé Domingos Chinen
Beneficiário:Pedro Henrique Barbosa Pereira
Instituição-sede: A C Camargo Cancer Center. Fundação Antonio Prudente (FAP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Oncologia   Neoplasias colorretais   Neoplasias retais   Células neoplásicas circulantes   Expressão de proteínas   Histopatologia   Imuno-histoquímica   Estudos retrospectivos

Resumo

O câncer colorretal (CCR) é o terceiro mais frequentemente diagnosticado em todo o mundo e a segunda maior causa de morte por câncer. No Brasil, foram 36 mil casos diagnosticados em 2018, tornando o CCR o terceiro mais frequentemente diagnosticado em homens e o segundo em mulheres. Dentre esses números, no Brasil, foram registrados 17.284 óbitos por CCR, sendo 4.968 por câncer de reto. Um grande fator de risco para a progressão tumoral é a disseminação de células tumorais no sangue. As células tumorais circulantes (CTCs), são um dos mecanismos de disseminação do câncer, elas podem circular no sangue por meses ou até anos antes do desenvolvimento de metástases. É essa circulação espontânea de CTCs que também define o comportamento invasivo do tumor. Geralmente indetectáveis por análise histopatológica e por exames de alta resolução, testes mais sensíveis como ensaios imunocitoquímicos e moleculares têm sido desenvolvidos e vem permitindo a detecção de CTCs. Atualmente, muitos estudos têm focado em analisar a expressão proteica das CTCs em busca de marcadores de invasão e de resistência que possam prever resultados ao tratamento. Um importante marcador de resistência no câncer é a glicoproteína de membrana PD-L1 (ligante de morte programada 1), que é um importante componente no ciclo de imunidade do câncer, realizando a função de impedir o sistema imunológico de destruir células cancerosas. Sua expressão pode predizer um prognóstico favorável para tratamento com terapia anti-PD-1. Este será um estudo retrospectivo, onde serão analisadas 30 amostras de sangue de pacientes com câncer de reto em dois momentos distintos, antes do início e após o término da quimiorradioterapia neoadjuvante. Nosso principal objetivo é avaliar a expressão proteica de PD-L1 no sangue periférico de pacientes com câncer de reto localmente avançado e correlacionar essa expressão com a evolução clinica tumoral e sobrevida livre de progressão. Esperamos com este estudo, conseguir analisar a expressão de PD-L1 em CTCs encontradas no sangue periférico de pacientes portadores de câncer de reto e estabelecer uma correlação com a evolução clínica. Caso nossa hipótese se confirme, poderemos propor um estudo maior para que esta prática seja adotada na clínica.