Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da radiação ionizante e quebras na dupla fita de DNA (DSB) sobre o cariótipo molecular de t. cruzi

Processo: 19/07916-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2019
Vigência (Término): 31 de maio de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Parasitologia - Protozoologia de Parasitos
Pesquisador responsável:José Franco da Silveira Filho
Beneficiário:Karina de Azevedo Vieira Honório
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:16/15000-4 - Trypanosoma cruzi: variabilidade genômica intra- e interespecífica e mecanismos de invasão/evasão celular, AP.TEM
Assunto(s):Reparo do DNA   Radiação ionizante

Resumo

Trypanosoma cruzi, agente etiológico da doença de Chagas, é uma célula altamente resistente à radiação ionizante. Pode sobreviver a doses de radiação gama que excedem consideravelmente as doses absolutamente letais para células de mamíferos. Lesões mais complexas e possivelmente mais nocivas às células são as quebras duplas no DNA (DSBs), que podem ser reparadas por mecanismos de recombinação homólogos ou não-homólogos. Os mecanismos de reparo do DNA podem conferir vantagem à sobrevivência do T. cruzi em células hospedeiras de mamíferos, nas quais o estresse oxidativo e a consequente formação de radicais livres podem causar lesões no DNA. A exposição desse parasita à radiação ionizante produz intensa quebra cromossômica, visualizada pela degradação das bandas cromossômicas logo após a irradiação. Em seguida, o DNA genômico fragmentado é gradualmente reconstruído e o padrão de bandas cromossômicas é restaurado.Nós levantamos a hipótese de que uma pequena porcentagem de células da população é capaz de reparar as lesões e reconstruir o cariótipo. Para testar esta hipótese, é importante estimar o número de células viáveis após a irradiação necessária para assegurar a retomada do crescimento. Independente das causas de lesão no DNA, as células ativam mecanismos de defesas, tais como bloqueio do ciclo celular ("cell cycle checkpoint arrest"), apoptose e reparo do DNA, fenômenos estes que podem ser detectados e quantificados.Epimastigotas de T. cruzi serão irradiados com doses de 100 e 500 Gy e mantidos em cultura axênicas por 2-3 semanas, determinando-se periodicamente os parâmetros citados acima (viabilidade celular, bloqueio do ciclo celular - "cell cycle checkpoint arrest" -, apoptose e reparo do DNA) e o cariótipo molecular por PFGE. Pretendemos assim obter nova informação sobre os mecanismos envolvidos na reconstrução dos cromossomos do parasita.